Sexta-feira, 27 de Março de 2009

A Playboy portuguesa

 

Sempre associei a revista Playboy ao mundo da pornografia. Mas a verdade é que nunca li nenhuma. Enfim, era a fama que tinha quando eu despertei para o mundo da imprensa. Mas com o passar do tempo, fui-me apercebendo que muitas mulheres famosas que não têm nada a ver com universo pornográfico posavam nuas para a dita publicação. Aliás, a Playboy foi ocupando progressivamente um lugar conotado com parâmetros de qualidade no mercado em que se insere.

Amanhã chegará às bancas o primeiro número da versão portuguesa da revista. Aquela Mónica que participou num reality show qualquer e que, ao que me lembro, até era uma tipa porreira, sem pretensiosismo nem atitudes arrogantes, faz a primeira capa da publicação lusa.

Sinceramente estou com vontade de comprar a revista, só para ver o que se entende hoje por pornografia de qualidade em Portugal. Será que vou encontrar uma revista soft que não fira susceptibilidades? Ou pelo contrário, a Mónica na capa mas conas escancaradas (eu não acredito que escrevi isto...) em todas as outras páginas? Será que tem conteúdos (escritos) interessantes? Ou só legendas do tipo "mama esquerda da Fulana e nádega direita da Sicrana?

Quando comprar (se comprar) digo-vos. Mas que é um tema que me desperta curiosidade, é.

Buraco tapado por Citadina às 15:32
Link do post | Tapa também
3 comentários:
De estrelaminha a 27 de Março de 2009 às 16:27
boa tarde!
a critica à revista tem sido favorável.
podes ver algumas fotos da festa de apresentação da mesma na sapo: http://fama.sapo.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=3767&Itemid=31.
as imagens 19 e 20 mostram fotos da revista. ;-)
bom fim-de-semana!
beijocas
De Observador a 28 de Março de 2009 às 14:48
Não vi a revista (por dentro) mas, a julgar pela capa, está longe de me seduzir.
De saiDleinaD a 30 de Março de 2009 às 16:37
Aguardei serenamente e expectante.
Será que os tugas conseguiriam ultrapassar os tabus instalados e ousar com beleza e arte?
Sim, porque o corpo e do feminino falamos, é uma arte.
Os editores tinham (e têm) uma responsabilidade histórica: primeiro lançamento da "Playboy" em Portugal.
Não conseguiram… não conseguiram…
Primeiro pela escolha, porque a Mónica Sofia de beleza… deixa muito a desejar, muito menos seria fotogénica. Tentaram alterar a pose da modelo e foi um desastre: o pescoço ficou desalinhado com os ombros, a cabeça puxada para a frente.
O editor da revista e o da capa, bem deviam ser responsabilizados por este aborto...
Mas ela lá ganhou as parcas moeditas que lhe deram, nem terá discutido, pelo contrário até se terá reverenciado por tanto que recebeu e não imaginava.
Perderam uma oportunidade de inovar. Não souberam, sem criatividade o destino será o medianismo saloio… para saloio comprar (que os saloios não se ofendam...).
Só pela capa, sejamos realistas por esta contatação: ela até parece ser corcunda, com aquela pose dos ombros puxados para a frente, para o cabelo encobrir as mamas bem descaídas…
E dentro da revista, ver o quê lá dentro?!...
Existe alguma arte nas suas poses vulgares?!. Ela não valeu os trinta mil que dizem recebeu...
Por favor, de novo, sejamos realistas e compare-se à revista brasileira, para não falar da italiana ou outra, mas estas, onde encontramos o corpo feminino exposto com a sua arte bela em todo seu esplendor…
Sinceramente, não vale os cerca de quatro euros, são mal empregues, ela é um bluff completo.
A Mónica, tal como as outras que se encontram dentro, mais parecem saídas da Polinésia… perdoem-me as polinésias.
Arte e ero, onde estão?!…
Não temos criadores de arte, temos pudor no ar, ai que parece mal… muito protagonismo em querermos fazer igual e acabamos por nos colocarmos em bicos de pés e caímos de joelhos…
As nossas puritanas desta geração moranguito e as nossas tias estoril-cascais, que se expõem para o tostão comissionário e a foto no vinte e quatro, fazem gala com esta mediana revisteca de bairro que se quer chegar à melhor do mundo, a brasileira. Esta sim, com mulheres lindas e desinibidas de preconceitos, que fazem do seu corpo uma arte de beleza pura de sonhar…
Mónicas… há muitas! Por menos fariam melhor.
Convehamos, em nome da arte, esta é de uma pobreza de corpo, sem perna nem anca curvilínea de arte ero, tipo corcunda… mas aceite, talvez porque o tal editor de capa gosta de mulheres de mamas caídas a dar gozo meio escondidas por cabelos mal-tratados e/ ou puxamamas-paracima barato...
Temos mulheres portuguesas mais lindas e mais belas, de corpo mais lindo e perfeito, com arte sensual, merecíamos melhor.
Mereciamos mais e melhor… à portuguesa.

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita