Quinta-feira, 4 de Junho de 2009

Massacre de Tiananmen: foi há vinte anos

 

 

O inadmissível aconteceu.

 

(via Arrastão).

Buraco tapado por Citadina às 12:29
Link do post | Tapa também
6 comentários:
De Duca a 4 de Junho de 2009 às 12:52
E, entretanto, tantos outros inadmissiveis aconteceram e vão acontecendo. É caso para perguntar, até quando?
De Citadina a 5 de Junho de 2009 às 11:43
E antes deste aconteceram igualmente. Também é isso o bicho homem, infelizmente .
De Observador a 4 de Junho de 2009 às 13:25
Países com regimes totalitários.
Países onde os termos democracia e liberdade são apenas palavras.

Hoje, em Tiananmen, nada de novo.

A não ser que já passaram 20 anos.
De Citadina a 5 de Junho de 2009 às 11:54
Países com regimes totalitários e não só, convém não esquecer. Os EUA, por exemplo, fartaram-se de patrocinar, organizar e participar em chacinas.
Há países que, mesmo não sendo totalitários, também são muito hipócritas no uso das palavras "liberdade" e "democracia".
Em relação à China, além do inaceitável desrespeito pelos direitos humanos, é ainda um país de duas caras, uma mistura de capitalismo selvagem com ditadura do proletariado, enfim, um non-sense total.
De DD a 5 de Junho de 2009 às 22:58
A Ilda Figueiredo não conseguiu explicar a razão porque os postos de trabalho dos portugueses são "chacinados" pelos trabalhadores quase escravos da China a 50 cêntimos do dólar à hora.

Mesmo um bom engenheiro informático custa na China (e na índia) cerca de 500 a 700 dólares por mês. Por isso, o pequeno Portugal nunca poderá concorrer contra esses dois gigantes que têm mais de 2,4 mil milhões de habitantes.

A única forma de proteger o trabalho português é com proteccionismo europeu. Direitos aduaneiros de 100 a 300% sobre as manufacturas chinesas. Mesmo assim, seria apenas uma certa protecção pois já vi T-Shirts chineses a 80 cêntimos e na C&A há polos a 3,25 euros e camisas a 5 e 7 euros. Tudo "made in China".

A maior exploração do trabalho que alguma vez houve na História da Humanidade é a que se verifica na China que alimenta o seu e quase todo o capitalismo mundial, dirigida pelo maior partido comunista do mundo.

Nem a Ilda nem o Jerónimo conseguem explicar a contradição entre esse comunismo e o capitalismo.
O Silas Cerqueira disse-me um dia que era por causa da indispensável acumulação de meios de produção e que depois será tudo socializado na China. Que bom que seria. O governo chinês nacionalizar todas as empresas multinacionais que têm lá fábricas. Aquilo acabava e nós podiamos montar em Portugal uma boa indústria de computadores, bicicletas eléctricas, etc., etc.
De Citadina a 8 de Junho de 2009 às 12:41
Volto a dizer o que disse acima: "Em relação à China, além do inaceitável desrespeito pelos direitos humanos, é ainda um país de duas caras, uma mistura de capitalismo selvagem com ditadura do proletariado, enfim, um non-sense total."

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita