Segunda-feira, 27 de Julho de 2009

O nosso homem em São Bento

Miguel Vale de Almeida será, salvo aconteça algum cataclismo, o primeiro deputado à Assembleia da República assumidamente gay, eleito pelas listas do PS como independente.

Não há como negar que isto é uma perspectiva altamente promissora para o universo LGBT português. Só não conhecendo o admirável percurso do Miguel como activista pelos direitos LGBT é que se poderia pensar outra coisa.

Eu não consigo votar PS por diversas razões, muitas delas já abordadas aqui no blog, talvez  - especulo - da mesma forma que o Miguel também não se consegue filiar no PS.

Mas compreendo os objectivos do Miguel nesta decisão que tomou e louvo-os porque eles demonstram coragem e determinação em alcançar metas que constituirão um grande serviço público ao País.

Miguel Vale de Almeida não será o nosso único homem em São Bento porque, como sabemos, há outras bancadas parlamentares inteiras que lutam pelos direitos LGBT há muito mais tempo e de forma bem mais assumida e coerente que o PS, mas será uma voz de importância fulcral no combate às discriminações por questões de orientação sexual e uma voz assumidamente gay que nos representará com dignidade e seriedade e, por certo, muito respeitada.

Não agradeço ao PS - não há nada para agradecer - mas agradeço ao Miguel pela disponibilidade de se colocar ao serviço da causa pública, principalmente tratando-se uma causa tão exigente.

Buraco tapado por Citadina às 14:55
Link do post | Tapa também
11 comentários:
De alex a 27 de Julho de 2009 às 18:45
ainda não li o suficiente para perceber porquê pelo ps, depois da cagada que fizeram na votação da proposta do be. de qualquer modo, espero que seja eleito (não, também não será com o meu voto) e que faça um bom trabalho.
De Citadina a 28 de Julho de 2009 às 10:08
Bom, para mim é evidente porquê o PS. É uma questão do número de assentos parlamentares. Forças mais representativas podem dar-se ao luxo de apresentar candidatos / ter deputados para cada assunto ou quase, enquanto as forças políticas com menos assentos parlamentares têm de acumular pastas, concentrando várias em cada um dos seus deputados.
De qualquer forma, o Miguel está na lista por Lisboa em sétimo lugar o que significa que a sua eleição é praticamente garantida, uma vez que o PS elegeu vinte e tal deputados por Lisboa nas últimas legislativas.
De alex a 28 de Julho de 2009 às 11:14
pois, as vantagens são óbvias, eu é que tenho uma certa dificuldade em ser pragmática, principalmente quando me lembro do nojo que me inspira a política do ps em geral e neste caso em particular. de qualquer forma, o ps (ainda) é um partido com diversas tendências, pelo que sinceramente desejo que o mva consiga ter ainda mais visibilidade e fazer valer os direitos que há muito deviam estar consagrados.
De Citadina a 28 de Julho de 2009 às 15:44
Especulo, claro, mas não acredito que o MVA tenha aceitado isto "de graça", ou seja, sem um compromisso político da parte do PS em elaborar, propor e votar favoravelmente uma série de projectos-lei, nomeadamente o óbvio, a igualdade no acesso ao casamento civil para TODOS os casais. Por muitas Matildes Sousa Franco que ainda haja no PS.
De pilantra a 28 de Julho de 2009 às 19:12
Eu tenho uma visão mais pessimista.
Precisando de todos os votos que possam aparecer, José Sócrates ofereceu a MVA um lugar onde o MVA já está eleito. Para ter o MVA no debate, evidentemente, mas também para «arrastar» aqueles que confiam no MVA.

O MVA sabe disto tão bem como eu. E é nesse arame sem rede que vai jogar. No mais, o MVA sabe, como qualquer de nós, por que motivo o 10 de outubro falhou.

Percebo muito bem a atitude do MVA e desejo-lhe o maior sucesso - o sucesso dele é o nosso sucesso.
Mas nem por isso me amarga menos vê-lo ao lado de Sócrates. Eu sei que todos os compromissos têm um preço, etc.. Mas custa-me.
De alex a 28 de Julho de 2009 às 21:00
infelizmente, tendo a concordar com @ pilantra.

é claro que também acredito que o mva tenha negociado esta candidatura, mas não estou muito optimista, porque não acredito em sócrates & sus muchachos, que são especialistas em piscar o olho à esquerda para governar à direita. por isso, e pelo nojo que a cena do 10 de outubro que inspira, me custa também vê-lo ao lado de sócrates. espero obviamente que seja bem sucedido, isso nem se discute.
De Cosmopolita a 28 de Julho de 2009 às 22:36
Pois é, esta história de custar à esquerda o poder aliarmo-nos a outros partidos mais à direita é um dos fracos das esquerdas de todos os tempos! E é nisso que a direita é imbatível! Se não podes vence-los junta-te a eles sempre foi o lema da direita. Primeiro conquistam o poder, depois logo se vê. A esquerda, pelo contrário, primeiro divide-se e depois perde o poder!
Acho que temos mesmo de repensar as estratégias que têm sido usadas pela esquerda para podermos inverter esta tendência e este passo do MVA é um bom exemplo disso. Não se pode ser demasiado ortodoxo sob pena de se ficar ideologicamente puro, mas completamente sozinho!
De alex a 28 de Julho de 2009 às 23:07
eu não sou nem pretendo ser ideologicamente pura, longe disso, muito menos ortodoxa. não nego que possas ter razão, mas este ps, com os dirigentes que tem agora, causa-me engulhos. (por ex, estou com uma crise existencial à conta das autárquicas de lisboa que nem queiras saber...)
De pilantra a 29 de Julho de 2009 às 20:02
Aqui não se trata de pollítica, propriamente.
Aqui a política não está em causa. Que o objectivo da igualdade já lá está.
Do que se trata é de recorrer à manigância política para se tentar «comprar» mais uns votos a troco de um direito existente mas «obstruído» a alguns.
Direito esse que não foi «desobstruido» por os ditos aliados de hoje o terem negado, tranquilamente.

Não me custa arregaçar as mangas e meter as mãos na merda para safar a limpeza. Mas, já agora, que seja para safar mesmo a limpeza.
Será?
Se a votação for pequena, aposto que voltamos aos «fraturantes», ainda que toda a esquerda vote sim - como já fez e não valeu.



De Citadina a 30 de Julho de 2009 às 12:32
Bom, pelo menos uma das desculpas esfarrapadas do 10 de Outubro 2008 já não poderão usar: acabei de verificar e o compromisso para legalizar o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo ESTÁ lá, no programa de governo do PS, ontem divulgado.
De pilantra a 30 de Julho de 2009 às 11:43
E que fique claro:
o MVA terá sempre a minha total confiança - e não, apenas, o «benefício da dúvida».

As minhas suspeições são relativas à «entourage». Vamos ter um parlamentar activo, empenhado, conhecedor, credível é à altura das circunstâncias. Não sei se poderíamos ter melhor - eu não conheço.

Mas que «tempo de antena» lhe vão dar?

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita