Quarta-feira, 14 de Outubro de 2009

Yoga #3

Bem me queria parecer que, em certas partes das aulas de yoga, não sou a única a não estar exactamente concentrada "numa luz muito brilhante entre as sobrancelhas, visualizando um cenário de completa tranquilidade".

Buraco tapado por Citadina às 15:28
Link do post | Tapa também
14 comentários:
De WL a 15 de Outubro de 2009 às 03:47
LOL

ps. publicar comentários aqui é dose! ;)
De Citadina a 15 de Outubro de 2009 às 11:37
WL,
A sério?! Isso preocupa-me. Pode, por favor, indicar quais os problemas específicos com que se depara?
Muito obrigada desde já.
(E desculpe pela pachorra que certamente isso implicará...)
De WL a 15 de Outubro de 2009 às 15:07
Citadina, não se preocupe... Sou eu que gosto de ter a vida facilitada! (quem não tem blog no sapo tem de preencher aqui uma data de coisas...)

De Citadina a 15 de Outubro de 2009 às 15:54
OK. :) Mas creio que pode preencher e memorizar um perfil. Para tal tem de ter uma conta de e-mail no Sapo (grátis), parece-me que é tudo que precisa.
De Quina Portugal a 15 de Outubro de 2009 às 06:35
lol....ok. Sinceramente...porque é que ainda insistem nessas tretas? Modas? Talvez....Não será melhor mandar umas super bocks abaixo em casa das amigas????
De Citadina a 15 de Outubro de 2009 às 11:42
Quina Portugal,
Por favor não me interprete mal: eu ADORO mandar umas super bocks (desta marca mesmo!) abaixo em casa das amigas. E em minha casa. E em qualquer lado, não sou esquisita (embora disfarce muito bem).
Mas não é comparável ao yoga que, tirando as palhaçadas misticas, é uma actividade física fabulosa. A sério. Tem coisas fantásticas. Juro.
De Cosmopolita a 15 de Outubro de 2009 às 12:00
Acho que se fizesse yoga haveria duas coisas em que a minha mente estaria terivelmente concentrada: em não matar as pessoas que estivessem a entoar os mantras e em conter os urros que essas posições malucas me provocariam nas articulações.

Luzes brilhantes propriamente ditas, a não ser que fossem provenientes de uma lanterna de mineiro como a Citadina usava para ler, não estou a ver como. Muito menos, nas circunstâncias mencionadas, um cenário de completa tranquilidade...

Enfim, ainda bem que há gostos para tudo.
De Citadina a 15 de Outubro de 2009 às 12:09
Vocês não percebem nada, pá!
Temos de por as coisas em prespectiva: os mantras são apenas cançõezinhas infantis entoadas numa linguagem incompreensível. Ou seja, dá perfeitamente para cantar ao estilo "lálálá-lálálá" e está o assunto resolvido.

Quanto às articulações, olha que não há melhor! Eu hoje tenho a consciência de músculos, tendões e articulações que nem sabia que existiam dentro do meu corpo. Ou seja, dantes não estavam lá a fazer nada, agora ao menos sinto que têm uma função (que é doer-me).

Agora essa da minha lanteira de mineiro foi um golpe baixo, uma exposição desnecessária da minha, como chamar-lhe, criatividade técnica, agora respondes tu aos pedidos de matrimónio que isto gerar.
De Citadina a 15 de Outubro de 2009 às 12:11
"lanterna", "lanteira" nem sei o que possa ser, mas parece-me baixo na mesma.
De Cosmopolita a 15 de Outubro de 2009 às 14:41
Quida, como estás já casada comigo até que a morte nos separe não há nada que um bom tiro ao alvo às pretendentes não possa resolver.

Aliás talvez fosse bom prevenir as incautas pretendentes de que eu ganho a vida como sniper...
De Citadina a 15 de Outubro de 2009 às 15:57
Já vesti a burqa, por causa das coisas.
De alex a 16 de Outubro de 2009 às 00:06
pois, não pagam a continha da edp, depois não vêem a luz...


cá para mim, tendo a concordar com a cosmopolita. quanto mais me querem impingir essas ondas místicas de tranquilidade e amor universal, mais espicaçam os meus instintos assassinos.

a propósito do sistema de comentários, não é preciso ter conta no sapo, nem mail. basta preencher os dados da 1ª vez, desde que se seleccione a check-box "guardar dados". ainda o que mais me chateia é não dar inserir links com código html...
De alex a 16 de Outubro de 2009 às 00:08
não dar para inserir. já ando a comer palavras.
De Citadina a 16 de Outubro de 2009 às 10:18
Olá Alex,
Pois, isso dos links é chato, eu também acho. Um dia destes escrevo para o Sapo a falar disso.
Quanto ao mais, obrigada pela informação sobre guardar os dados.

No que toca ao assunto do post, é como eu disse à Cosmo: há que separar o trigo do joio. No caso do yoga, o trigo é de excelente qualidade, o joio, pura e simplesmente ignora-se.

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita