Quinta-feira, 15 de Outubro de 2009

A não perder

Sobre a amizade.

Como dizia o outro, é triste mas é verídico.

E mais:

Buraco tapado por Citadina às 13:43
Link do post | Tapa também
3 comentários:
De Cosmopolita a 16 de Outubro de 2009 às 00:14
Como tive ocasião de dizer aqui (http://azinhagadacidade.blogs.sapo.pt/38354.html) e noutros posts, actualmente a vida é de tal maneira feito de mudanças constantes que já não há tempo para se fazerem amigos de londa data e com provas bem forjadas ao longo do tempo. Tenho amig@s de há mais de 50 anos com quem cresci e amadureci. A nossa amizade é inabalável.

Hoje em dia a palavra amigo e o conceito que lhe está inerente banalizou-se. As pessoas chamam de amigas outras que lhes são simples conhecidas. Já não há longos períodos para forjar amizades, é já tudo instantâneo, tipo fast food, a nível dos afectos. E como tal descartável. E como tal puramente superficial e fictício. Sem respeito e medo da perda do outro. Sem reconhecimento, sem lealdade, sem generosidade, sem entrega e sem prazer. Uma mera gestão diplomática de um conjunto de pessoas pelo simples horror de se estar sozinho. Até porque as pessoas já não lêem, não ouvem, não estudam. Abordam tuso pela rama. Até, como se fala aqui, os afectos.

Caramba, ainda bem que te tenho, meu amor, minha amiga, minha companheira!
De alex a 16 de Outubro de 2009 às 00:25
infelizmente, até dos amigos de longa data, dos tais de quem se espera(va) uma solidez inabalável, se têm por vezes surpresas desagradáveis.
De Citadina a 16 de Outubro de 2009 às 10:29
Por muito estúpida que possa parecer (e de facto sou um bocado como a mãe da Cosmo diz, por vezes tão ingénua que mais pareço estúpida) eu quando considero alguém um@ amig@ é MESMO para a vida. Com todos os seus defeitos e qualidades e com os meus e as minhas também.
Por isso é que me choca e têm chocado tanto nos últimos anos essas experiências da "vida real" em que sou confrontada com a visão exclusivamente utilitária e transitória (e distorcida, quanto a mim) da amizade. Mas não há dúvida de que é ESSA visão que está na ordem do dia, para mal dos meus pecados.

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita