Sexta-feira, 31 de Julho de 2009

Férias

A vida segue dentro de momentos.*

 

*(como costuma dizer um grande amigo)

Tags:
Buraco tapado por Citadina às 18:53
Link do post | Tapa também
Quinta-feira, 30 de Julho de 2009

A armadilha do casamento civil sem direito à adopção

Do Programa de Governo do PS consta:

 

"Remover as barreiras jurídicas à realização do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo;" (página 76)

 

Esta é a parte boa.

No entanto, não consta nada sobre adopção por casais do mesmo sexo.

Ora isto, como se ilustra bem aqui, compromete direitos já consignados na lei.

É só uma ideia para reflexão.

Buraco tapado por Citadina às 12:35
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Segunda-feira, 27 de Julho de 2009

O nosso homem em São Bento

Miguel Vale de Almeida será, salvo aconteça algum cataclismo, o primeiro deputado à Assembleia da República assumidamente gay, eleito pelas listas do PS como independente.

Não há como negar que isto é uma perspectiva altamente promissora para o universo LGBT português. Só não conhecendo o admirável percurso do Miguel como activista pelos direitos LGBT é que se poderia pensar outra coisa.

Eu não consigo votar PS por diversas razões, muitas delas já abordadas aqui no blog, talvez  - especulo - da mesma forma que o Miguel também não se consegue filiar no PS.

Mas compreendo os objectivos do Miguel nesta decisão que tomou e louvo-os porque eles demonstram coragem e determinação em alcançar metas que constituirão um grande serviço público ao País.

Miguel Vale de Almeida não será o nosso único homem em São Bento porque, como sabemos, há outras bancadas parlamentares inteiras que lutam pelos direitos LGBT há muito mais tempo e de forma bem mais assumida e coerente que o PS, mas será uma voz de importância fulcral no combate às discriminações por questões de orientação sexual e uma voz assumidamente gay que nos representará com dignidade e seriedade e, por certo, muito respeitada.

Não agradeço ao PS - não há nada para agradecer - mas agradeço ao Miguel pela disponibilidade de se colocar ao serviço da causa pública, principalmente tratando-se uma causa tão exigente.

Buraco tapado por Citadina às 14:55
Link do post | Tapa também | Ver comentários (11)
Sábado, 25 de Julho de 2009

As pessoas opiniosas

Existe um certo tipo de pessoas que têm "A" opinião certa sobre tudo e sobre todos, opinião essa, claro, que não se aplica a si próprios e aos seus. Essa opinião é vinculativa, porque é a certa, e só os opinados estúpidos é que não o percebem. 

 

Pior do que o opinioso, é, sem dúvida, o opinioso moralista. Porque esse, para além de ter a opinião certa sobre os outros, ainda considera que a virtude, a sensatez e o bom senso chegaram a ele e pararam.

 

O opinioso opina sobre tudo o que diz respeito aos outros, ficando perplexo e irascível quando um opinado ousa, como moeda de troca, servir-lhe de espelho e opinar sobre ele também. Sim, porque uma coisa é o opinioso e outra bem diferente o opinado! Nada de confusões.

 

O opinioso é completamente louco e antidemocrático e, se pudesse, obrigaria  todos os opinados a sê-lo também e de forma tão virtuosa e destrutiva quanto a dele. O opinioso gostaria de, tendo vivido catastroficamente  a sua vida,  viver também a vida de todos os opinados da mesma maneira.

 

O opinioso fica muito irritado quando o opinado não acata, não percebe ou ousa contestar a sua opinião. Sim, porque o opinado é um mero atrasado mental que deve seguir cegamente  a opinião vinculativa do opinioso. 

 

Mais! O opinioso sente-se no direito de, sem que o opinado saiba ou opine ele próprio sobre o assunto, opinar sobre a vida da família do opinado junto de cada um dos membros dessa família. Com a persuasão que lhe é conferida pelo grau de irritabilidade e totalitarismo intelectual que a possibilidade de haver outras opiniões ou de a sua opinião poder ser questionada lhe conferem. 

 

É possível que tenha tendência para ser opiniosa, mas felizmente, os meus mais próximos não me deixam e espero que seja sempre assim. Por muito que isso me possa custar quando estou a opinar.

Buraco tapado por Cosmopolita às 12:19
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Sexta-feira, 24 de Julho de 2009

Linha Ferroviária a atravessar o Concelho de Grândola - NÃO!

"A REFER e o Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações tem previsto a construção duma linha ferroviária de mercadorias entre Sines e o Caia, com ligação a Espanha.
Nesta linha está igualmente previsto efectuar a ligação entre Sines e Grândola, através dum traçado em diagonal que irá "cortar" o concelho desde a Aldeia do Pico a Melides.

Este cenário é extremamente lesivo para o Concelho de Grândola, para a toda a Região do Alentejo Litoral e para o país, na medida que a construção deste eventual traçado que para além de ser contrária e contraditória com o modelo de desenvolvimento que tem vindo a ser apadrinhado pelo próprio Governo pois passa junto a um projecto PIN e três Áreas de Desenvolvimento Turístico, iria destruir milhares de sobreiros (estima-se cerca de 10.000!!) dum dos melhores montados do Mundo, iria retalhar terrenos e propriedades seculares e principalmente iria atingir as localidades de Paragem Nova, Aldeia do Pico e Vale Figueira, passando por cima de habitações onde residem diversas famílias há diversas gerações.

Se estes argumentos não fossem já por si bastante relevantes, existe ainda a questão técnica do traçado que deve ter sido estudada por uma mente iluminada que tem como passatempo o esbanjar do dinheiro dos contribuintes, visto que a morfologia do terreno iria obrigar à construção de diversas "obras de arte" como túneis, pontes e viadutos.
Mais confuso tudo fica, se nos recordarmos que existe actualmente uma linha entre Sines e Ermidas que foi recentemente requalificada, sendo que apenas seria necessário transformá-la para a bitola Europeia, com uma redução drástica do investimento, com uma redução drástica no impacto ambiental, com uma redução drástica do impacto socioeconómico.

Por todas estas razões estamos frontalmente contra a construção da ligação ferroviária entre Sines e Caia com um traçado que atravesse o Concelho de Grândola, sendo esta petição uma das primeiras acções de contestação caso o traçado em estudo seja o escolhido."

 

Esta petição pode ser assinada aqui. Portugal já está demasiado estragado.

Buraco tapado por Citadina às 11:50
Link do post | Tapa também | Ver comentários (18)
Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

O vírus do comunismo

Os meus pais são comunistas. Isto começou por criar alguns problemas na escola primária, onde eu não soube reagir da melhor forma nem compreender a razão da animosidade que me dirigiram os ranhosos dos meus colegas quando souberam.

Mas como eles eram muitos e hostis, e eu já atingia a minha quota de porrada diária por outras razões (como por usar óculos e por ter sotaque do Porto) passei a esconder o comunismo familiar como se fosse uma doença vergonhosa e isto durou até encontrar outros colegas de escola, alguns anos mais tarde,  que padeciam da mesma enfermidade.

Nessa altura, o desenvolvimento psicológico e crítico próprio da adolescência já me permitiu indagar e reflectir sobre o assunto e, de facto, comecei a admirar a teoria.

A génese filosófica e ética do ideal comunista ilustrada pelos princípios de igualdade e fraternidade é suficiente, creio, para explicar a sua capacidade de mobilização. Quanto mais não seja, sustentou a minha atracção pela ideologia. Mas não implicou que eu fosse incapaz de reconhecer a utopia subjacente a uma sociedade sem classes, sem Estado, baseada na propriedade comum dos meios de produção, com a consequente abolição da propriedade privada e caracterizada pelo controle dos meios de produção pelos trabalhadores através de associações livres de produtores.

Aliás, os próprios comunistas também reconhecem a utopia, parece-me, tendo-se ficado pela primeira fase do Processo Revolucionário, assente em sistemas políticos socialistas, face à impossibilidade de implementar a segunda fase que seria a efectivação de sistemas políticos comunistas.

É verdade que muitos regimes socialistas baseados em ideais comunistas culminaram em abusos de poder e restrições da liberdade inaceitáveis.

Por outro lado, é estúpido negar, no caso português, embora alguns tentem, as preciosas e sofridas contribuições do PCP para o fim da ditadura salazarista e da miséria intelectual e material em que o país se viu afundado por cinco décadas de fascismo.

E não adianta tentar colar o "comunismo" português aos "comunismos" totalitários da China, da Coreia do Norte, etc., porque o "comunismo" português é democrata, defende e lutou pela democracia portuguesa como nenhum outro partido e, acima de tudo nunca sugeriu "suspendê-la", como certa pessoa que neste momento até é candidata a Primeira Ministra fez. 

Eu, como portuguesa ciente e orgulhosa da minha história também sofro dessa enfermidade, também estou contaminada pelo vírus do "comunismo", porque acredito que é possível ter liberdade real e socialismo efectivo em Portugal. Não sou, na minha aparentemente antagónica posição, nem anticomunista primária nem pró-comunista cega.

E as aspas acima uso-as porque tenho a teoria de que a denominação dos partidos  portugueses (quase todos) é enganadora: seria mais fiel à realidade portuguesa que o PCP se chamasse "Partido Socialista", porque é o que ele é, assim como que o PS se chamasse "Partido Social Democrata", o PSD "Partido Conservador" e o CDS "Partido Nacionalista Cristão".

Buraco tapado por Citadina às 16:13
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Segunda-feira, 20 de Julho de 2009

O planeta azul

A minhã avó materna tinha um sonho. Nascida em 1911, assistiu pela televisão à alunagem da Apollo 11, cujos 40 anos se comemoram hoje, e ficou fascinada com as fotografias da Terra vista do espaço. Ouvi-a dizer várias vezes que não havia coisa mais linda. O seu sonho era fazer uma viagem espacial, para ver com os seus próprios olhos a magnificência do planeta azul. Daqui a poucos dias terão passado doze anos desde o seu falecimento, mas sei que hoje teria um prazer especial em ver os telejornais para assistir mais uma vez às imagens que tanto a fascinavam. Eu estarei a ver por ela.

Buraco tapado por Citadina às 13:50
Link do post | Tapa também | Ver comentários (10)
Sábado, 18 de Julho de 2009

Geração Verão Azul

Bendita RTP Memória por oferecer estas reminiscências felizes e uma música que não me vai sair da cabeça o fim de semana todo.

 

Buraco tapado por Citadina às 14:54
Link do post | Tapa também
Sexta-feira, 17 de Julho de 2009

Como é bom proibir!

Abri as notícias agora ao fim da tarde e deparei-me com aqueles inquéritos do Sapo a perguntar:

 

"O Ministério da Saúde diz que os homossexuais não podem ser dadores de sangue porque têm «comportamentos de risco». Concorda? ". Curiosa fui ver as votações.
 

Ora bem, 49% dos votantes, quase 9.000 pessoas, disseram que concordavam! Nem queria acreditar! A sociedade portuguesa, ou pelo menos quase 50% dela, é mesmo homofóbica, reaccionária, preconceituosa, ignorante e com uma profunda tendência para o totalitarismo anti-democrático!

 

Pedro Freitas, médico e sexologista clínico, comenta, e muito bem, esta proibição no fim deste artigo aqui, reduzindo ao que realmente é, a atitude o Ministério da Saúde: absurda, discriminatória, homofóbica, sexista, anti-democrática, anti-científica, abusiva do poder e primária.

 

Maldito Sócrates y sus muchachos que já podiam ter dado um passo em frente relativamente à homofobia  e, em vez disso, deram  "n" passos atrás! O pior é que a alternativa é ainda mais assustadora... 

Buraco tapado por Cosmopolita às 19:10
Link do post | Tapa também | Ver comentários (1)

Votar PS? Não me parece.

Ora então vejamos: o Ministério da Saúde é liderado por uma Ministra do PS, certo? PS esse que promete prometer (é que é mesmo assim) viabilizar a igualdade no acesso ao casamento civil na próxima legislatura, não é? Mas já as outras igualdades, ah isso não, que isso é um grupo de gente esquisita e por muito bem comportadinhos que eles digam que são nunca se sabe, porque ser homossexual já é um comportamento de risco. O melhor é manter essa gente o mais afastada possível do nosso sangue.

 

Moral da história: é com políticas reais que se inferem as intenções reais.

Buraco tapado por Citadina às 17:20
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)

E uma farda, não?

Até podia ser o equipamento do Porto, para ser azul e com fibra, não o do campo, mas aquele que eles usam para andar de avião.

Todos iguais, todos irmãozinhos, uma equipa coesa, vencedora, com uma imagem de marca no mercado  e todos esses epítetos que se desejam para uma empresa moderna.

Ou a farda dos Meos, simplesmente, afinal de contas tanto dinheiro investido nessa imagem que podia ser tão melhor capitalizado!

E nada quanto ao corte de cabelo? Isso é que eu acho que está mal, uma pessoa assim não sabe o que há-de fazer e ó se há gente que precisa de orientação nesse aspecto, meu deus!

 

 

Buraco tapado por Citadina às 16:40
Link do post | Tapa também
Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

A minha aposta

Alberto João Jardim, com boçalidades fascistas destas, acaba por fazer assinaláveis favores eleitorais à CDU.

Buraco tapado por Citadina às 14:43
Link do post | Tapa também | Ver comentários (1)
Quarta-feira, 15 de Julho de 2009

Memórias

Há posts da Citadina que me trazem à ideia memórias antigas, mas nem por isso menos válidas.

 

E que me dão uma vontade louca de explicar por que razão, passados tantos anos e apesar de tudo, continuo a acreditar em Marx e Engels e no processo histórico! Chega a ser chato, porque praticamente nada é imprevisível ou inexplicável.

 

Um destes dias, quando tiver tempo, dissertarei sobre isso, num melancólico passeio ao que aprendi no passado e no meu dia-a-dia.

 

E não, não seria já capaz de acasalar com pessoas apolíticas ou de direita, nem pensar!

Buraco tapado por Cosmopolita às 22:31
Link do post | Tapa também
Terça-feira, 14 de Julho de 2009

Legislativas e igualdade no acesso ao casamento civil

Perante o resultado das eleições europeias o choque só pode ter sido grande para a esquerda portuguesa, independentemente das subidas em percentagem e número de votos do BE e da CDU.

Para mim foi porque, pior que a vitória da direita a nível europeu, tive de assistir à vitória da direita a nível nacional, algo que poucos dias antes da ida às urnas parecia altamente improvável. E ainda porque, em relação a uma questão que me é cara, o que antes parecia garantido, de repente passou a ser bastante incerto. Falo da igualdade no acesso ao casamento civil.

Claro que não se pode avaliar um governo ou tomar uma decisão de voto apenas centrada neste assunto mas, se virmos bem, o que é este assunto? Um capricho, uma não-prioridade, uma luta de franjas? Ou uma questão de direitos fundamentais, de direitos humanos, de não-discriminação das minorias, de respeito e cumprimento efectivo da Constituição Portuguesa?

A igualdade no acesso ao casamento civil é, além do óbvio, uma medida de civilização e de qualidade da democracia e da sociedade portuguesa. E isso são indicadores essenciais para toda a gente, presumo.

Se a direita ganhar as eleições legislativas, teremos como Primeira Ministra uma pessoa declaradamente homófoba e uma defensora do liberalismo económico, o mesmo que afundou o mundo na crise em que está mergulhado. E não é com políticas dessas que o país vai passar a ser um país melhor, mais igualitário, mais justo, mais civilizado, mais próspero.

Portanto, a meu ver, é essencial que a esquerda ganhe as eleições. Mas que esquerda? Uma esquerda baseada na enfraquecida plataforma de apoio do PS, ajudada por quem escolhe o menor de dois males para governar o País (Sócrates ou Ferreira Leite)?

Ou uma esquerda plural mas que no seu conjunto garanta a maioria parlamentar?

Uma coisa é certa: é altamente improvável (para não dizer já impossível) que o PS sozinho consiga uma (outra) maioria absoluta parlamentar nas próximas legislativas.  E eu até torço para que o PS ganhe ao PSD. Mas daí até lhe dar o meu voto, vai um abismo. Primeiro, porque, como pessoa de esquerda, me é impossível premiar quem não merece, esquecer as traições do passado recente e as políticas anti-sociais e, segundo, porque acredito que devo recompensar com votos as forças políticas que efectivamente lutaram e continuam a travar as difíceis batalhas por melhores políticas sociais, como a dos direitos LGBT, com consistência, perseverança, assiduidade e convicção.

Assim, só posso desejar que o trabalho pró-consenso para se atingirem compromissos que realmente sirvam a sociedade (em vez de servirem os partidos políticos), por oposição a autoritarismo cego e teimosia gratuita (dos mesmos) seja possível de pôr em prática e se torne uma realidade.

Esse trabalho será mais difícil, sem dúvida, mas eu assumo que gostava de / quero ver como corre. Quanto mais não seja para testar, de facto, certas teorias [a governabilidade só é possível com maioria absoluta de um só partido] que se apregoam por aí como verdades inquestionáveis.

Buraco tapado por Citadina às 13:02
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Sexta-feira, 10 de Julho de 2009

Das manadas

Um dos mais observados - e tristes, diga-se de passagem - comportamentos de grupo é a legitimação por via d' "o pessoal". Funciona assim: se  "o pessoal" diz todo que alguém é [preencher com classificativo conveniente], eh pá, então... é porque é!

Buraco tapado por Citadina às 13:59
Link do post | Tapa também | Ver comentários (6)
Quinta-feira, 9 de Julho de 2009

Mas porquê as mães, sempre as mães?!

Além disso, eu também não compreendo o constante recorrer à ascendência feminina directa para insultar alguém.

 

Ontem houve uma manifestação de cerca de 200 estivadores em frente à Assembleia da República. Dispararam petardos, acenderam tochas e trouxeram coletes reflectores que diziam “Don’t fuck my job”. As palavras de ordem foram assim, como hei-de dizer... Um bocadinho fortes, digamos: “Sócrates, escuta! És um filho da %&$#.”

Buraco tapado por Citadina às 12:38
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)

Inveja

E então, como foi ontem o Maalouf na Gulbenkian? Que bom ter empreguinhos liberais que permitam assistir a essas coisas, não é?

Pois, o online e tal. Mas a malta trabalha, 'tá?

Depois não se esqueçam de dizer também como foi no Convento de Mafra, amanhã, só para meter nojo, sim?

Buraco tapado por Citadina às 10:32
Link do post | Tapa também | Ver comentários (1)
Terça-feira, 7 de Julho de 2009

AC/DC

Se há um momento generalista que separa claramente a vida de uma pessoa em "antes de" e "depois de", acho que ele tem a ver com a destruição da utopia da eternidade: seja dos amigos para sempre ou dos amores para sempre, da estabilidade para sempre ou da razão para sempre.

Buraco tapado por Citadina às 13:02
Link do post | Tapa também | Ver comentários (1)
Segunda-feira, 6 de Julho de 2009

Que tristeza...

Abro a televisão para ver o telejornal e nem acredito nos meus olhos e ouvidos! Está há 15 minutos a dar na RTP África a recepção de Cristiano Ronaldo no estádio do Real Madrid...

 

Que raio, eu não gosto de futebol e, mesmo que gostasse, neste tempo de crise o que menos interessa é o Cristiano Ronaldo! Mas o povo gosta de circo, este fá-lo esquecer-se do que verdadeiramente importa.

 

E como é fácil alienar a malta! Que tristeza!

Buraco tapado por Cosmopolita às 20:13
Link do post | Tapa também | Ver comentários (3)

Às vezes questiono-me sobre mim própria

Com que idade é que a ingenuidade deixa de poder servir de desculpa para a estupidez?

Buraco tapado por Citadina às 12:22
Link do post | Tapa também

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Contadores

Quem nos cita