Segunda-feira, 1 de Outubro de 2007

Mais uma grande festa




Esteve em grande a comemoração do 1º aniversário da Lesboa Party, no local que provavelmente reúne mais consenso, o esplêndido Pavilhão de Exposições do Instituto Superior de Agronomia, decorado para o efeito com simplicidade - como convém, uma vez que o espaço vale por si só e não precisa de grandes atavios - e alguma graça.

A música esteve geralmente boa, primeiro oferecida pela banda Boogie Nights a quem terá sido encomendado um alinhamento musical especialmente orientado para os gostos do público alvo, que resultou numa selecção bem conseguida no propósito de aquecer e animar as hostes, e numa segunda fase pelos DJ's de serviço, que fizeram, na minha opinião, uma boa gestão do alinhamento e dos timmings, optando por ir ao encontro da geração mais madura numa primeira instância, deixando os ritmos mais techno para o fim da noite.

Nos bares, a confusão habitual - porquê insistir em só dois?! - gerou necessariamente bebidas mal servidas e falta de higiene. Nem um paninho à vista, nem sequer um cuidado mínimo aceitável na limpeza dos balcões, bancadas, chão, e restantes zonas dos e adjacentes aos bares. Os barmen e barmaids   - saltava à vista - não eram profissionais na sua maioria.

Uma indicação visível dos acessos - já dentro da Tapada da Ajuda - também faltou, aliás como sempre, à excepção da primeira vez em que a festa se realizou naquele local. Lá andei eu a recolher silhuetas na noite perdidas no labirinto e a dar-lhes boleia lá para cima.

Não utilizei a casa de banho, não porque não precisasse, mas porque me disseram que a fila era quilométrica!! Sei que este problema é difícil de resolver e que o WC portátil para trolha também não é a alternativa mais glamorosa, mas é óbvio que as instalações existentes são manifestamente insuficientes para mais de 1000 pessoas! Vá lá, organização, utilizem a vossa criatividade para resolver este problema (sem ser ir cagar à mata).

Numa apreciação geral, tratou-se de mais um evento de sucesso. É sabido que a mera repetição sem reforço na qualidade e na inovação não é garante de continuidade e que o verdadeiro desafio não é oferecer mais do mesmo até à exaustão do conceito, mas sim renová-lo de forma cativante, sem nunca desiludir o público específico que aderiu, deu visibilidade e ajudou a construir isto que é a Lesboa Party. A Lesboa veio para ficar! Parabéns e muitos anos de vida!


Buraco tapado por Citadina às 16:32
Link do post | Tapa também

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita