Terça-feira, 27 de Novembro de 2007

Cenas da vida conjugal (revisited with a jet lag)

Sexta-feira à noite, sofazando.
O filho pródigo chega a casa e diz:
"Que horror, cheira imenso a tabaco!", o que faz a mãe erguer-se de um salto para abrir as portas da sala, que dão para a varanda, de par em par (and did I mention it was 12ºC outside ??!!)
De imediato entra uma varejeira nojenta que tenta a todo custo escapar da morte por hipotermia e é a minha vez de intervir com um sonoro "Fecha isso, caramba!", e para a gata: "Do something about it, you're the cat in the house!"
Nada.
Passados trinta segundos de nojo e ansiedade, finalmente uma reacção. A gata começa a emboscar o insecto asqueroso.
"Ah! Até que enfim! Caça! Mata!"
Cosmo, de volta ao sofá, diz: "I could have killed it. I may not be the cat in the house, but I have a pantufa."

Buraco tapado por Citadina às 14:46
Link do post | Tapa também
7 comentários:
De -pirata-vermelho- a 27 de Novembro de 2007 às 16:21
Traduza lá, plize, qu'eu não sei ler nessa língua
ou
acha que perde a graça?
ou!
a graça reside no estrangeirismo e não no que significa o texto?
De Citadina a 27 de Novembro de 2007 às 17:53
My mate dixit!
Please see bellow.
Cheers pal!
De Cosmopolita a 27 de Novembro de 2007 às 17:49
A graça reside em muitas coisas difíceis de explicar, uma vez que são cenas da vida conjugal, como diz o título.

É que aqui em casa, com excepção de mim, toda a gente tem imenso medo de bichos voadores...

Portanto, esquecendo-se disso, recorrem à gata de uma forma hilariante e complexa para eles e para a gata.

Eu fico placidamente a olhar, divertida, para aquela palhaçada toda.

A mistura das línguas tem a ver com o falarmos assim mesmo, resultado da globalização indoors e do uso e abuso da língua inglesa a nível profissional e literário. E ao nem sempre nos ocorrer, como foi o meu caso, do equivalente a pantufa em inglês.

Espero tê-lo ajudado a compreender este humor caseiro.
De -pirata-vermelho- a 27 de Novembro de 2007 às 19:45
Obrigado.
É a primeira vez que escolho (por isso...) entender o que se passa e! é a primeira pessoa que o explica de forma simples e consistente.
Now again, thanks.
De BlueBird a 27 de Novembro de 2007 às 19:31
Giro era teres contado tudo! O filho corajoso, não tem medo de bichos voadores, só estava é um pouco cansado para andar atrás de bichos. tendo um gato é mais fácil, afinal servem para alguma coisa... não é só para serem fofos. Na brincadeira.
Hilariante era o bicho a voar pela sala e a gata ficar a tentar apanhar o reflexo deste na janela da sala. Ou então aquela parte em que tu agarraste nela ao colo e foste atrás do bicho com ela. O bicho no tecto e a gata a olhar para o chão sem qualquer interesse! Um serão agradável don't you think ?
De Viz a 27 de Novembro de 2007 às 19:59
La cage aux folles.... shall I go on in my own language???
Bjão doidonas
De Duca a 27 de Novembro de 2007 às 23:02
Não Viz, por favor! Até aqui tenho estado a perceber tudo e a divertir-me! Se desatas o grego, tou lixada!

Beijo

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita