Terça-feira, 8 de Abril de 2008

O verme

Para além da alma de funcionário público do Estado Novo, com os inerentes tiques de bufo incompetente e fuinha histérico, este cabrão é um pulha da pior espécie com toda a gente, não hesitando atribuir todas as culpas de todas as falhas que ele próprio comete a terceiros, aplicando requintes maquiavélicos aos que são melhores pessoas, e portanto, mais vulneráveis a crápulas sem princípios.

O paquiderme não faz nada o dia todo que não seja jogar Pokemons, ou lá o que é aquilo. Se não faz nada, nunca faz nada mal. Como todos os filhos da puta, ganha mais e faz menos e pior que toda a gente, mas escuda-se numa linguagem técnica blindada para se dar ares de entendido, a que o seu superior directo, estranhamente, adere.

Dá vontade de o tramar todos os dias e, de facto, as pequeninas vinganças vão sendo servidas na directa proporção dos padrões morais de cada um, mas como estes, ainda assim, existem, o filho da puta ainda não foi despedido por assédio sexual consumado ou assim.

E como se não bastasse, as suas óbvias incompetências são escandalosamente ignoradas por um chefe maior, que não se quer chatear por tão pouco (afinal há sempre quem acabe por fazer, emendar ou remediar, independentemente do gozo alarve do verme por ter sempre um estúpido "a trabalhar para ele") ou simplesmente não tem peito para o pôr na linha.

Uma história portuguesa com certeza, numa empresa perto de si.

Tags:
Buraco tapado por Citadina às 18:48
Link do post | Tapa também
3 comentários:
De Observador a 9 de Abril de 2008 às 07:07
E como funcionará o célebre "SIADAP" com essa criatura?
De Citadina a 9 de Abril de 2008 às 11:34
Eu sei que isto é o perfil por excelência de um (mau) funcionário público mas, acredite ou não, nem sequer é o caso. A empresa é privada mesmo.
De Cosmopolita a 9 de Abril de 2008 às 13:05
São este género de pessoas, autênticas pragas e verdadeiros vermes, que dão mau nome a todos os outros trabalhadores!

São uma escória de chulos do trabalho e louros alheios, bufos e calões, sem nenhum tipo de ética ou de rebuços pela sua péssima conduta.

São seres absolutamente desprezíveis!

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita