Sexta-feira, 5 de Setembro de 2008

Ena ganda maluca!

Sarah Palin, candidata à Vice-Presidência dos EUA pelo Partido Republicano, afirma que a guerra no Iraque, a construção de um gasoduto no Alasca e as alterações climáticas são a vontade de Deus e que Deus é que os planeou. E ela está aqui para Lhe fazer a vontade.

É ver para crer, no vídeo aqui em baixo.

 

 

Buraco tapado por Cosmopolita às 14:33
Link do post | Tapa também
9 comentários:
De Duca a 5 de Setembro de 2008 às 17:59
Mais uma que já morreu e ainda não sabe!
O que vale é que Deus tem umas costas largas. Aliás, para estes fanáticos religiosos, Deus é uma figura masculina gigantesca de grandes barbas e que está de olho no mais pequeno detalhe do Universo!
Enfim, a ignorância é o maior mal da Humanidade, como dizia Helena Petrovna Blavatsky - opinião com a qual concordo - e o pior é quando há gente desta a governar ou a candidatar-se a governar os destinos de uma nação com milhões de pessoas!
Valha-nos "santo" Obama que, sinceramente nunca achei nem acho credível mas, pelo menos, não diz alarvidades destas.
De -pirata-vermelho- a 7 de Setembro de 2008 às 23:43
Ena ganda título!
A fugir à pseudo-análise e ao drama compenetrado...

Dou-lhe uma música
http://www.radioeuropa.fm/index_17.html
daquelas de dançar antigamente
De Cosmopolita a 8 de Setembro de 2008 às 11:14
Caro pirata, obrigada pela música e re-bem-vindo!
De Teresa Coutinho a 8 de Setembro de 2008 às 08:36
Pois é, basta atribuir as culpas ou os méritos a Deus para livrar a pele. É uma boa política, sim senhor!
De Cosmopolita a 8 de Setembro de 2008 às 11:35
Caras Duca e Teresa:

O problema aqui nem é atribuir as culpas ou méritos a Deus pelo facto de Ele ter costas largas. É falar em nome Dele, como se tivesse uma procuração e fossem uns iluminados, para justificar o injustificável! Não há dúvida que presunção e água benta, cada um toma a que quer!

E mais, este tipo de pessoas, que não olham a meios para atingir os seus fins, são extremamente perigosas, sobretudo quando usam a religião como instrumento.
De Druiel a 8 de Setembro de 2008 às 23:02
Acho que aqui é que é caso para dizer: Oh por amor de Deus!!!!!
De K a 10 de Setembro de 2008 às 15:34
Ela que vá para a bicha? fila?, que o autor privativo da Amália chegou primeiro.

Não sei, não sabe ninguém
Por que canto o Fado
Neste tom magoado
De dor e de pranto
E neste tormento
Todo o sofrimento
Eu sinto que a alma
Cá dentro se acalma
Nos versos que canto

Foi Deus
Que deu luz aos olhos
Perfumou as rosas
Deu oiro ao sol
E prata ao luar
Foi Deus que me pôs no peito
Um rosário de penas
Que vou desfiando
E choro a cantar
E pôs as estrelas no céu
E fez o espaço sem fim
Deu o luto às andorinhas
Ai, e deu-me esta voz a mim

Se canto
Não sei o que canto
Misto de ventura
Saudade ternura
E talvez amor
Mas sei que cantando
Sinto o mesmo quando
Se tem um desgosto
E o pranto no rosto
Nos deixa melhor

Foi Deus
Que deu voz ao vento
Luz ao firmamento
E deu o azul às ondas do mar
Foi Deus
Que me pôs no peito
Um rosário de penas
Que vou desfiando
E choro a cantar
Fez poeta o rouxinol
Pôs no campo o alecrim
Deu as flores à primavera
Ai, e deu-me esta voz a mim.

Alberto Janes
De Cosmopolita a 10 de Setembro de 2008 às 17:34
Pois é Druiel e K, tudo isto seria um fado que terminaria em "Por amor de Deus!" se a dama em causa não fosse a besta fanática que é. Leiam o outro post sobre ela para ver o que ela pensa, fez ou disse sobre coisas demasiado importantes para serem levadas à la légère.
De K a 17 de Setembro de 2008 às 23:21
Minha querida, nem à la légère, nem de outra maneira.

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita