Quinta-feira, 2 de Outubro de 2008

Crise do subprime para leigo entender

Como só os brasileiros sabem fazer:

 

"Para quem não entendeu ou não sabe bem o que é ou gerou a crise americana, segue breve relato econômico para leigo entender...
É assim:
O seu Biu tem um bar, na Vila Carrapato, e decide que vai vender cachaça "na caderneta" aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados. Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose da branquinha (a diferença é o sobre preço que os pinguços pagam pelo crédito).

O gerente do banco do seu Biu, um ousado administrador formado em curso de emibiêi, decide que as cadernetas das dívidas do bar constituem, afinal, um ativo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o pindura dos pinguços como garantia.

Uns seis zécutivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrônimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.

Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (as tais cadernetas do seu Biu).

Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.

Até que alguém descobre que os bêbados da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e o Bar do seu Biu vai à falência. E toda a cadeia sifudeu !

Viu... é muito simples...!!!"

 

(Via e-mail)

 

Buraco tapado por Citadina às 10:43
Link do post | Tapa também
4 comentários:
De IBMAA-Portugal a 2 de Outubro de 2008 às 11:37
Estimada Senhora,
a APMBA, por solicitação de alguns associados, informa que a história do Seu Biu está mal contada. Alguns dos nossos partners tinham conhecimento ou foram autores de alguns dos mecanismos de criação de riqueza agora infelizmente vilipendiados por alguma imprensa e prejudicados pela acção de intuitos obscuros de alguns Estados conotados com a acção terrorista que assola o Ocidente.

Com os nossos cumprimentos
De Citadina a 2 de Outubro de 2008 às 13:03
Estimada APMBA e respectivos sócios:
O Azinhaga da Cidade informa que está com muita pena dos senhores, coitadinhos, tão vilipendiados, e sugere que V/ Exas contem "bem" a história, estamos muito interessados!
Lamenta ainda que o mercado vos tenha subtraido o sentido de humor a este ponto. Se vos serve de consolação, não são os únicos.
Cumprimentos.
De Duca a 2 de Outubro de 2008 às 11:46
Lolllllllllllllll
Nada como explicar de forma bem simples e com muito humor as razões da crise para que uma leiga como eu entenda. E nisso, os brasileiros, tal como os portugueses, são mestres. A diferença é que os portugueses têm cada vez menos vontade de fazer humor, pois contráriamente aos brasileiros, não são detentores do tão desejado ouro negro. Esta história quase que transforma a crise numa anedota e, se calhar, até é.
De Citadina a 2 de Outubro de 2008 às 13:10
Querida Duca,
A crise, obra de irresponsáveis de vários calibres, vai-nos foder a todos. Sim, ainda mais. E vai doer. É bom que se contem anedotas enquanto isso, para distrair, mas atenção, não confundir as chalaças com a situação real! Senão ficamos iguais aos senhores aí de cima, os AMIBAS, ou lá o que é.
Beijos!

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita