Sexta-feira, 3 de Outubro de 2008

Os do nim #2

A hipocrisia e o oportunismo são coisas que me desconcertam, enojam e chateiam até mais não poder! Outra atitude que me provoca o mesmo efeito é as pessoas utilizarem os nomes das coisas com um outro significado que subverte totalmente o sentido destas. Passo a dar exemplos disso.

 

Conforme se disse aqui, quer o PS equiparar o casamento entre homossexuais a uma união civil registada, um meio caminho entre o casamento e a união de facto. No entanto, nem mesmo as uniões de facto estão a salvo de discriminação, pois a lei geral sobre estas, passados que estão mais de 7 anos sobre a sua aprovação em Maio de 2001, ainda não está regulamentada, facto que permite que os tribunais ditem sentenças discriminatórias com base numa leitura restritiva da legislação. Isto apesar de o artigo 9 desta lei referir que o Governo tem de publicar, num prazo de 90 dias, os diplomas regulamentares das normas não previstas na lei geral, o que não aconteceu até hoje.

 

O advogado França Pitão, autor de um livro sobre uniões de facto mostra que esta lei põe em causa o princípio da igualdade dos cidadãos perante a lei, denunciando neste livro várias situações de omissão desta, nomeadamente no que diz respeito à questão dos bens adquiridos e sua sucessão, às regras da transmissão do arrendamento e o direito a uma pensão de sobrevivência em caso de morte de um dos elementos do casal, entre outros, direitos esses que seriam automáticos no caso de um casamento.

 

Sócrates afirmou, no discurso de encerramento do Congesso Nacional da Juventude Socialista, que o que marcava a diferença do PS em comparação com os sociais-democratas era uma "visão de progresso" face a uma "visão conservadora", uma "visão de futuro" ao contrário de "uma visão retrógrada" e que "as mudanças não aconteceram por acaso nem caíram do céu, mas foram resultado de batalhas políticas, porque um sector da nossa sociedade não as aceitava, não as partilhava, não as apoiava, mas quem liderou estes avanços progressivos, quem apresentou essas leis e lutou por elas foi o PS honrando a visão de um partido progressista".

 

Ora bem, onde é que estas palavras se encaixam agora na atitude que o PS tomou de impor a disciplina de voto no caso da proposta do Bloco de Esquerda e de Os Verdes no dia 10 de Outubro? De 121 deputados do PS, 47 (38,84 %) pronunciaram-se a favor da imposição da disciplina de voto, mais de 20 (cerca de 19%) votaram contra, tendo-se aberto uma excepção para o ex-líder da JS Pedro Nuno Santos (0,8%), e os restantes 51 (42,15%) baldaram-se. Como disse o líder parlamentar do PS, Alberto Martins "A maioria, de forma muito expressiva, aprovou a disciplina de voto". Qual maioria, é caso para perguntar?

 

Strecht Ribeiro afirmou a propósito que "desde 1995 que existe uma inconstitucionalidade por omissão" quando o Código Civil define que o casamento é entre duas pessoas de sexo diferente e terminou dizendo "Não votaremos contra o casamento entre homossexuais, mas contra o oportunismo político do Bloco de Esquerda. O PS entende que tem de ser feita ainda uma avaliação política sobre o momento em que esse obstáculo é removido". Como diz Daniel Oliveira do Arrastão aqui "Ou seja, são a favor da mudança e até dizem que não mudar é manter uma inconstitucionalidade por omissão. Por isso, claro, votam contra. Porquê? Porque não dá jeito à agenda eleitoral do PS remover uma inconstitucionalidade e aprovar uma coisa com a qual diz concordar. Um partido de princípios, portanto."

 

Então se uma união de facto não é, na prática, equiparada a um casamento civil, o que raio virá a ser uma união civil registada? E o que é uma visão de progresso e de futuro? E o que é o pluralismo democrático? E porque se chateiam tanto com outros partidos acusando-os de anti-democráticos, quando fazem o mesmo? Onde está a aceitação, a partilha, o apoio, a liderança de avanços progressistas do PS? E porque se arrogam algumas pessoas o direito de decidir, inconstitucionalmente, sobre a vida, a felicidade e os amores dos outros???

 

Buraco tapado por Cosmopolita às 18:15
Link do post | Tapa também
8 comentários:
De -pirata-vermelho- a 3 de Outubro de 2008 às 21:14
Oh mnina,
espreit'aqui
http://tempoquepassa.blogspot.com/2008/10/celestial-mobilizao-dos-amanhs-que.html (c'a devida vénia),
se faz favor
De Cosmopolita a 6 de Outubro de 2008 às 13:29
Já espreitei. Sem favor nenhum. E gostei. C'a devida vénia muito obrigada!
De tangas a 4 de Outubro de 2008 às 22:06
é absolutamente incrível a forma como o PS está a lidar com esta questão...
De Cosmopolita a 6 de Outubro de 2008 às 13:22
Com esta só? Com muitas outras!
De K a 5 de Outubro de 2008 às 17:08
Como em tudo o resto, PS é PS. Mais uma chalaça...

Comentário de um cidadão comum anónimo
que comentou no Expresso on-line a notícia da sentença da indemnização pedida por Paulo Pedroso.

é?Alguém acredita que um juiz entraria na Assembleia da República para notificar um deputado sem provas concretas de um crime?
é?Alguém acredita que o dito PP (até me dá vómitos pronunciar esse nome), que por acaso tutelou a Casa Pia como membro do Governo - tal como outros
antes e depois - não sabia dos casos de pedofilia na instituição quando toda a Lisboa sabia dos 'putos' a 'atacar' em Belém e no Parque Eduardo VII?
é?Alguém acredita que meia dúzia ou mais de crianças e adolescentes se reunissem para organizar uma 'cabala' contra o PS ?
é?Alguém acredita no casamento arranjado à pressa para o dito PP (dá-me vómitos pronunciar esse nome) não passar por aquilo que é?
é?Alguém acredita que a Política não manobrou a Justiça para livrar o PS de ter nas suas fileiras pedófilos, tão flagrantes têm sido as coincidências e a passagem imediata do irmão de PP (até me dá vómitos pronunciar este nome) de juiz a advogado para integrar uma equipa de defesa de luxo?
é?Alguém acredita que o irmão de PP (que nojo de nome) está no lugar que está agora por serviços prestados ao PS?
é?Alguém tem dúvidas que o PS tem um Apito Socialista na justiça, como se viu nos casos Melancia, Torres Couto e UGT, PP (que nojo de nome), Judas, Sócrates (Independente e Freeport ), etc. ?
é?Alguém tem dúvidas que o Código Penal foi alterado devido ao Caso Casa Pia?
é?Alguém tem dúvidas que outro cidadão qualquer não teria o mesmo tratamento (e sobretudo celeridade) que PP (que nojo de nome) em todo este caso e sobretudo na indemnização?
é?Alguém tem dúvidas que Sócrates (solteiro e bom rapaz...) e o PS não deram uma mãozinha a PP (que nojo de nome), comentando a correr esta decisão, ele
que esteve calado como um rato na onda de crimes que assola o País?

De Cosmopolita a 6 de Outubro de 2008 às 13:17
É. Mesmo!
De -pirata-vermelho- a 6 de Outubro de 2008 às 00:19
A TALHE DE FOICE se me permite o oportunismo
(é a revolta, que m'agita...)

Bem sei que a separata de domingo do jornal Público é baratucha - tralha e coisinhas d'entretem, digamos assim... - mas!
hoje, o exemplar é notável.
Em artigo d'ordem do dia, em título de letra gorda, em página inteira-dupla, a jornalista
diz que "se pudessem casar com pessoas do mesmo sexo, Paulo e Isabel fariam-no".

FARIAM-NO mesmo!

Apesar de o tal jornal ser um paradigma do assassinato da escrita temos que concordar com a dimensão dsitinta desta bacorada; pela simplicidade que exibe.





---------------

Aparece na pág.54 e a autora é a Sra. D. Inês de Barros Baptista
(o seu a seu dono mas a senhora não é a única a garantir a permanência do dislate)
De Cosmopolita a 6 de Outubro de 2008 às 13:21
É de gritos essa!

Seria engraçado publicar todos os dias uma lista das gaffes dos jornais. E da televisão o que dizer? É a mesmíssima coisa.

Com ou sem acordo ortográfico, a malta já não sabe mesmo falar português...

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita