Sexta-feira, 13 de Agosto de 2010

Saudades do burro

Este post, reconheço, vem com algum atraso, mas só hoje é que me disseram que o mundial da África do Sul já acabou há um mês. E disseram que eu tinha tido muita sorte em não ter sido atingida por nenhuma vuvu-qualquer-coisa, não percebi.

Mas indo finalmente ao assunto: a pautinha, senhor@s, a pautinha é que interessa. E, no que toca à selecção  portuguesa de futebol (a A, parece que é assim que lhe chamam), é uma final de um campeonato europeu e um quarto lugar num mundial contra... zero.

 

Buraco tapado por Citadina às 13:25
Link do post | Tapa também | Ver comentários (3)
Sexta-feira, 2 de Outubro de 2009

3 Anos - Parabéns Lesboa

Há três anos foi a Duca que me desafiou a ir à Lesboa, "uma coisa nova" que surgia no cenário do entretenimento LGBT da cidade. Desde então, são raras as edições do evento que tenho perdido, evento esse que conquistou por mérito próprio um lugar incontornável como "happening" LGBT de Lisboa.

Hoje a Lesboa já não é uma "coisa nova", mas continua a ser uma coisa boa. Parabéns.

 

Buraco tapado por Citadina às 12:09
Link do post | Tapa também
Quinta-feira, 9 de Julho de 2009

Inveja

E então, como foi ontem o Maalouf na Gulbenkian? Que bom ter empreguinhos liberais que permitam assistir a essas coisas, não é?

Pois, o online e tal. Mas a malta trabalha, 'tá?

Depois não se esqueçam de dizer também como foi no Convento de Mafra, amanhã, só para meter nojo, sim?

Buraco tapado por Citadina às 10:32
Link do post | Tapa também | Ver comentários (1)
Sexta-feira, 19 de Junho de 2009

É já amanhã

 

Aproveiro para reproduzir aqui um excerto de um texto do Ricardo Santos Pinto, publicado no Aventar há uns dias, que era muito importante que TODA a gente lesse:

 

"(...) Pela primeira vez desde que existe a Marcha, tenho uma filha. E foi então que me ocorreu a seguinte pergunta: devem as famílias heterossexuais participar no evento e levar os seus filhos?
A resposta, como é óbvio, tem de ser positiva. Por várias razões: em primeiro lugar, de forma mais geral, por uma questão de solidariedade para todos aqueles que se vêem na necessidade de mostrar que são iguais aos outros e que reivindicam essa mesma igualdade na lei. De forma mais específica, penso que a formação de uma criança deve incluir o contacto com pessoas que pensam de forma diferente daquelas que normalmente a rodeiam. «Abrir os olhos» para outras realidades, aprender desde cedo a conviver com as diferenças, saber que gostar de pessoas do mesmo sexo é a coisa mais natural do mundo. Ganhar instrumentos para pensar com a própria cabeça quando for grande e ser a favor, se isso corresponder à sua consciência, do casamento gay» ou da adopção de crianças por casais do mesmo sexo.
Não é por isso, descansem os críticos, que ela será mais ou menos heterossexual. (...)"

Buraco tapado por Citadina às 12:07
Link do post | Tapa também
Segunda-feira, 15 de Junho de 2009

Jantar da blogosfera LGBT em Lisboa

Porque várias coisas se meteram no meio (eleições,  destaques do Sapo, férias...) e porque o (meu) tempo não estica, ainda não tinha falado aqui sobre um ponto alto de um fim de semana (ultra)passado, que foi o jantar da blogosfera LGBT, organizado pelos meninos do Devaneios LGBT e gentilmente apoiado pela ILGA Portugal, que cedeu o espaço.

O convívio foi fantástico e o mais interessante foi ver os nicks ganharem rosto, claro. Mas ainda há uma nota extremamente positiva a fazer e que me tocou muito: terem comparecido vários bloggers heterossexuais, rejeitando-se assim uma postura de gueto e transformando a iniciativa numa reunião abrangente e, como tal, muito mais rica.

Venham mais iniciativas destas!

Buraco tapado por Citadina às 12:34
Link do post | Tapa também
Domingo, 29 de Março de 2009

Arranjei algo melhor para fazer

Em vez de ir comprar a revista fui à conferência. É caso para dizer que a curiosidade foi sol de pouca dura e alimentar o intelecto exige mais do que uma novidade impressa.

Cinco estrelas para os painéis a que assisti: "Direito ao coração: Discriminação das Relações Familiares das Pessoas LGBT" e a Sessão de Encerramento, moderada pela Fernanda Câncio e animada pelos representantes dos grupos parlamentares do PS, BE e PEV. Os outros, PSD e CDS, também foram convidados mas, claro, não compareceram.

E claro que o assunto "10 de Outubro de 2008" veio à baila. Foi interessante ver  aqueles deputados admitir com frontalidade que o que move os partidos é, antes das causas justas, a estratégia política.  Foi honesto. Mas por mais honestas que as pessoas individualmente sejam, e aquelas pareceram-mo bastante, as organizações em que estão inseridas e o próprio xadrez político não se compadecem das bondades individuais. A política não é uma coisa limpa.

Buraco tapado por Citadina às 21:08
Link do post | Tapa também
Quarta-feira, 18 de Março de 2009

No Twitter ReTwita-se? Aqui RePosta-se. Para divulgar boas causas.

 

Conferência “Políticas Integradas contra a Discriminação das Pessoas LGBT / Mainstreaming LGBT Anti-Discrimination Policies”

 

Centro de Informação Urbana de Lisboa (Picoas Plaza) - 27 e 28 de Março de 2009

 

Dia 1 Sexta-feira, 27 de Março de 2009

 

9h-9h30Boas-Vindas e Inscrição

9h30-10h Sessão de Abertura António Costa*, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa

Elza Pais, Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género

Robert Jan van Houtum, Embaixador do Reino dos Países Baixos em Lisboa

Paulo Côrte-Real, Presidente da Direcção da Associação ILGA Portugal

 

10h-11h20 Painel 1 – em boas mãos: Segurança, Justiça e as Pessoas LGBT

Moderação: Miguel Pinto, Dirigente da Associação ILGA Portugal Intervenções: Paul M Cahill MBE, Chief Inspector, Presidente da Gay Police Association (Reino Unido) Victor Argelaguet, Guàrdia Urbana de Barcelona, Presidente da GayLesPol, Secretário da European Gay Police Network (Catalunha, Espanha) Fernando Grande Marlaska, Juez Instructor de la Audiencia Nacional (Espanha) Comentário: Rui Sá Gomes*, Secretário de Estado da Administração Interna (Portugal)

11h20-11h30 Pausa para café

 

11h30-13h Painel 2 – um pé na porta: o Acesso das Pessoas LGBT ao Trabalho e à Solidariedade Social

Moderação: Luísa Corvo, Coordenadora do Grupo de Intervenção Política da Associação ILGA Portugal Intervenções: Joke Swiebel, ex-Eurodeputada e ex-Presidente do Intergrupo LGBT do Parlamento Europeu (Países Baixos) Ronald Holzhacker, University of Twente, Senior EU Expert, Network of Socio-Economic Experts in Anti-Discrimination Luisa López, Division Director - Human Rights & International Affairs, National Association of Social Workers (EUA) Comentário: Edmundo Martinho*, Presidente - Instituto de Segurança Social, I.P. (Portugal) Alexandre Rosa*, Vice-Presidente - Instituto do Emprego e da Formação Profissional, I.P. (Portugal)

13h-14h30 Almoço

 

14h30-16h15 Painel 3 – mens sana in corpore sano: Educação e Saúde Inclusivas

Moderação: Maria José Alves, Associação para o Planeamento da Família/Médicos pela Escolha

Intervenções: Evelyne Paradis, Policy Director - ILGA Europe Rita Paulos, porta-voz e ex-Presidente da rede ex aequo (Portugal) José Maria Nuñez Blanco, Fundación Triángulo (Espanha) Comentário: Brigitte Degen, DG Employment Social Affairs and Equal Opportunities - Anti-Discrimination Unit (União Europeia) Jesuína Ribeiro, Subdirectora-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (Portugal)

16h15-16h30 Pausa para café

 

16h30-18h Painel 4 – bons olhos os vejam: Boas Práticas de Políticas Transversais Moderação: Paulo Côrte-Real, Presidente da Direcção da Associação ILGA Portugal Intervenções: Xavier Verdaguer i Ribes, Responsable - Programa per al col•lectiu de gais, lesbianes i transsexuals (Catalunha, Espanha) Els Veenis, Senior Policy Advisor - LGBT Policy Affairs (Países Baixos) Martha Franken, Senior Advisor – Coordinator, International Equal Opportunities Policies (Bélgica)

Comentário: Jorge Lacão*, Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros (Portugal)

 

Dia 2 Sábado, 28 de Março de 2009

 

11h30-13h Painel 5 – Corpo de delito: Identidade de Género e Discriminação

Moderação: João Pereira, Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género

Intervenções: Carla Moleiro, Professora de Psicologia Social – ISCTE; investigadora – Projecto TRANSformation (Portugal) Baastian Franse, Assistente Social - Transvisie, centrum voor genderdiversiteit (Países Baixos) Julia Ehrt, Co-Presidente – Transgender Europe

Comentário: Vasco Prazeres, Chefe de Divisão de Informação, Comunicação e Educação para a Saúde da Direcção-Geral da Saúde (Portugal)

13h-14h30 Almoço

 

14h30-16h30 Painel 6 – direito ao coração: Discriminação das Relações Familiares das Pessoas LGBT

Moderação: Maria José Magalhães, UMAR Intervenções: Robert Wintemute, Professor of Human Rights Law, School of Law, King’s College London (Reino Unido) Susan Golombok, Directora do Centre for Family Research, Cambridge University (Reino Unido) Ignacio Solá, Subdirector General de Promoción, Normativa y Desarrollo Social de la Dirección General contra la Discriminación - Ministerio de la Igualdad (Espanha) Miguel Vale de Almeida, Professor de Antropologia - ISCTE (Portugal)

Comentário: Elza Pais, Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (Portugal)

16h30-16h45 Pausa para café

16h45-18h30 Encerramento

 

Faça a sua pré-inscrição pelo e-mail conferencia@ilga-portugal.pt

Entrada livre. Possibilidade de obter certificado de participação.

Mais informações e actualizações permanentes em http://www.ilga-portugal.pt/conferencia2009/

Associação ILGA PORTUGAL

Email: ilga-portugal@ilga.org

http://www.ilga-portugal.pt/

Centro LGBT Rua de S. Lázaro, 88 1150-333 Lisboa

Metro: Martim Moniz Autocarro: 790

Telefone: 218 873 918 | 969 367 005

Fax: 218 873 922

 

(via Tangas Lésbicas)

Buraco tapado por Citadina às 16:06
Link do post | Tapa também
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2009

Óscares - (mais) um sinal para o mundo

Shame on you, people who support Proposition 8.

E vergonha devem ter também todos os portugueses que não defendem a igualdade de direitos.

 

 

Buraco tapado por Citadina às 11:01
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2009

É já amanhã!

Buraco tapado por Citadina às 17:51
Link do post | Tapa também

Toda a gente odeia o Carnaval

Muita gente "bem pensante" detesta o Carnaval. Por simples pedantismo ou trauma efectivo, as máscaras e as palhaçadas afiguram-se-lhes parvas, ridículas e até perigosas.

Pois bem, eu já fui uma dessas pessoas. E, de facto, há que admitir, existe uma quota-parte de patetice em alguém se vestir com trajes que nunca, em circunstâncias normais, usaria em dias de vida e ir desfilar para a rua, sujeitando-se a agressões como sejam ovos, bombinhas de Carnaval, tomates, faltas de educação e outros abusos.

Mas, como em (quase) tudo, o justo acaba por pagar pelo pecador e aquilo que o Carnaval tem de bom é ensombrado pelo que ele tem de nocivo. A crítica social desafiante e mordaz que abana as convenções e os regimes estabelecidos, como aconteceu no episódio de Torres Vedras, é desacreditada como política de intervenção, própria do Entrudo. E a diversão que pode advir de uma noite diferente, criativa e, no entanto, extremamente civilizada, como é o caso da Noite das Matrafonas (ou Matronas, ou  Marafonas), também em Torres, é menosprezada.

É pena. Porque nem todas as formas de celebrar o Carnaval em Portugal são suspeitas.

Desde que experimentei, há dois anos, o Carnaval de Torres à sexta-feira à noite, tive - e fi-lo com prazer - de dar a mão à palmatória. O Carnaval não é uma coisa parva. É também uma excelente oportunidade de nos despirmos de preconceitos e darmos largas à imaginação. E, porventura mais importante que tudo o resto nos tempos que correm, de nos divertirmos a sério e de testarmos se o nosso sentido de humor é abrangente ou apenas presunçoso.

 

Buraco tapado por Citadina às 12:35
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

Lesboa

 

A Lesboa Party decidiu, ou assim parece, "saltar" por cima do habitual balanço da festa (de fim de ano) e já está a anunciar a edição de Carnaval.

Boas notícias. Ainda bem que conseguiram aguentar o rombo. E a grande vantagem dos erros é o que muito se aprende com eles.

Quanto ao "esquecido" balanço, em boa verdade ele já tinha sido feito, não lá, mas aqui, portanto agora é passar à frente.

As anteriores edições de Carnaval foram felizes, com destaque para a primeira. Como eu já referi aqui, é mais difícil manter a qualidade que criá-la. Criar qualidade gera expectativas e a gestão destas não é tarefa fácil. Será até, porventura, um desafio só ao alcance dos melhores. É o que desejo que sejam.

Buraco tapado por Citadina às 10:58
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

Encerrar as festas

As festas terminaram com a pouco concorrida Lesboa Party Passagem de Ano 2008/09 Gold Edition 2.0.

Esta foi, porventura a melhor produção de sempre. Estava simplesmente impecável. Temos de exceptuar aqui a música, que, ao contrário do que é costume, não estava nada de especial. Mas de resto, impressionantemente bom!

Então porque é que a festa foi um fracasso, perguntam vocês? Eu só vejo uma hipótese: o preço dos bilhetes. Sinceramente, nós também não teríamos tido possibilidade de ir se não tivéssemos convites. As entradas eram, em duas palavras, demasiado caras. Poder-se-á sempre contra-argumentar dizendo que as nossas eram circunstâncias particulares, mas será mesmo? Terá sido 2008 um ano financeiramente mau só para mim e para a Cosmo? Sabemos que não. A conjuntura económica prejudicou as intenções de muita gente, tenho a certeza, e estou convencida de que a história teria sido outra se o custo fosse ao nível do que se praticou aqui (aliás, várias fontes nos disseram que a Maria Lisboa estava a abarrotar de gente na passagem de ano).

Assim, a organização da Lesboa deve ter tido um rombo financeiro maior que o do casco do Titanic.

Era possível ter feito uma produção daquelas sem cobrar tanto dinheiro à entrada? Claro que sim! A prova cabal é o facto de a festa se ter realizado. Contar com ovos tão dourados ainda dentro do ânus da galinha é que foi um risco muito mal calculado. Uns ovinhos de prata tinham atraído muito mais gente (ia dizer galinhas, sim, mas contive-me a tempo).

Agora (de novo) a sério, espero francamente que isso não comprometa a continuidade do evento, a Lesboa não merece morrer desta forma. Além dos aspectos relacionados com a viabilidade económica do evento, nunca é demais sublinhar a componente de serviço público ao universo LGBTQ português que a Lesboa tem e presta.

Quanto a quem lá esteve, usufruir de tudo aquilo sem muita azáfama e confusão não terá sido nada mau. Para nós foi óptimo, com o bónus de termos conhecido pessoalmente as simpáticas autoras dos blogs Estrelaminha, ViagemLes e Troca&Tintas.

Um Feliz Ano Novo a@s leitor@s do Azinhaga em particular e aos blogueiros deste país em geral!

Buraco tapado por Citadina às 11:04
Link do post | Tapa também | Ver comentários (9)
Terça-feira, 30 de Dezembro de 2008

Lesboa para começar 2009

 

 

Se este fosse um blog politica ou socialmente correcto eu escreveria agora aqui umas ideiazinhas soft para enterrar de vez o assunto do Natal mas, em vez disso, vou reiterar, para que não se esqueçam daquilo que é a realidade, que o Natal como o conhecemos, na prática,  não passa de uma cagada malcheirosa em três actos.

Festa da família o caralho. Se fosse festa da família, a família TODA participava, a família TODA ajudava. Assim, é só a festa que alguns escravos preparam para uns quantos lordes, que se limitam a sentar-se à mesa a enfardar e a estender o braço para receber prendas, deixando bem claro que não lhes dá absolutamente prazer nenhum estar com a parte escrava da família, para já não falar em colaborar.

E posto isto, eu estou em greve. Não faço mais nada, não organizo mais nada, não cozinho mais nada, não convido mais ninguém lá para casa. Provavelmente vou engolir estas palavras dentro de dois dias apenas mas, até lá, bato no peito como um gorila. Não interessa. Não faço mais nada.

E vou, vejam bem, a uma festa!! Finalmente esta que vos serve vai divertir-se,  numa festa que alguém, que não eu, organizou. Uma festa que vai ter música para eu dançar e, com sorte, até um belos pares de mamas, aconchegados por indumentárias elegantes, para eu admirar e ser infiel em pensamento. Por acaso eu sei que a minha mulher (e o resto da Humanidade) pensa exactamente da mesma maneira por isso poupem-me e deixem lá de se armar em virtuos@s, foda-se para as moralidades, caralho, estou farta.

Mal educada? Mal educada uma merda. Eu pelo menos utilizo os palavrões com propriedade e relevância. E elegância, às vezes, sim, sim, elegância. E muita graça, claro.

Bom, mas isto não é sobre de que é que eu estou farta (embora engane os mais distraídos, tenho consciência) , é sim sobre a festa a que eu vou e que não tenho de organizar. É só pagar e entrar. Nem isso, porque me convidaram, muito simpáticas, as moças (nota mental para depois não vir aqui desancar naquilo, mesmo que seja um nojo, as casas de banho já sei que vão ser mas pronto, não fica bem dizer mal depois de me empanturrar à borla e além disso há sempre a mata, que cheira melhor).

Os lisboetas que queiram tentar recrutar uma lésbica para o menáge à trois (já repararam que "trois" um bocado invertido fica "trios", ah, ah, ah, esta foi boa) que prometeram ao cônjuge como prenda de Natal são muito bem vindos, nós gostamos de vos observar e gozar convosco.

De fora de Lisboa, só as gajas são bem vindas, e lésbicas de preferência. Ou não, Pensando bem, as outras também podem vir. É, venham, venham.

E o que era mais? Era só isso. Eu vou lá estar, e gira, muito gira, e muito bêbeda também, como é costume, afinal esta merda é uma festa ou é uma missa? Acontece que eu sei beber, ninguém nota a não ser por um assinalável incremento qualitativo do meu sentido de humor, pelo menos enquanto se conseguir perceber aquilo que eu digo. Depois disso, farei palhaçadas gestuais igualmente engraçadas.

A ver mas é se não perco o fogo de artifício, que dali de cima deve ser muito romântico.

Buraco tapado por Citadina às 10:37
Link do post | Tapa também | Ver comentários (16)
Sexta-feira, 31 de Outubro de 2008

"Prontos", agora vou ter de ir

A Lesboa Party é boazinha para quem gosta dela.

 

Tags: ,
Buraco tapado por Citadina às 16:21
Link do post | Tapa também
Quinta-feira, 9 de Outubro de 2008

Lesboa reveillon

A confirmar-se o que se adianta aqui, ou seja, que a próxima Lesboa está prevista para a noite de Ano Novo, parece-me uma excelente ideia.

Buraco tapado por Citadina às 16:56
Link do post | Tapa também | Ver comentários (3)
Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Lesboa - II Aniversário

 

Em honra do futuro chumbo parlamentar do próximo dia 10 de Outubro, uma possível leitura política para dress-code branco é haver muita gente que se quer casar e não pode, embora a cor da virgindade ali, seja simbólica, mesmo SÓ simbólica...

Por mim espero que a festa se cubra de todo o espectro de tonalidades e brilho porque a Lesboa está, mais uma vez, de parabéns!

É já na próxima 6ª feira, no belíssimo Pavilhão de Exposições do ISA.

Buraco tapado por Citadina às 14:29
Link do post | Tapa também
Segunda-feira, 15 de Setembro de 2008

Gostar de mulheres

Parque da Bela Vista, Lisboa, 14-09-2008

Buraco tapado por Citadina às 16:45
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Sexta-feira, 12 de Setembro de 2008

Publicidade a cerveja não tem que ser boçal #1

Buraco tapado por Citadina às 11:58
Link do post | Tapa também | Ver comentários (1)
Terça-feira, 9 de Setembro de 2008

Decisions, decisions

Tenho de me decidir de uma vez por todas se vou virgem ou não para o concerto da Madonna. Por um lado irrita-me um bocado que adolescentes histéricas ousem olhar-me com ar de nojo por eu não saber de cor as letras todas, nem quem é o não sei quantos timberland. Por outro, e visto que em breve vou ingressar num curso de ioga, perdão, Yôga, para principiantes, estou tentada a considerar a hipótese de existir uma razão metafísica para eu andar há dois meses a tentar comprar o último CD dela e até agora não me ter sequer conseguido aproximar de uma discoteca.

Se calhar vou morrer durante o concerto e é por isso que não vale a pena a despesa. Ou então, não conhecendo uma única composição do alinhamento Pegajoso e Doce, à excepção, talvez, de Borderline, vou poder apreciá-lo como ninguém. Se calhar vou-me chatear de morte e andar à porrada com um janado de Canal Caveira que me tente surripiar uma nota de vinte do bolso de trás. Se calhar a minha mulher vai começar por descompor o grupo de Canal Caveira e a meio do concerto já serão amigos para sempre e o tal janado estará com ela às cavalitas a pular como um doido.

Enfim, não sei. Se compre, se não compre, se ouça, se não ouça.

Buraco tapado por Citadina às 12:29
Link do post | Tapa também | Ver comentários (10)
Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

LGBT em Portugal: de onde vimos e para onde vamos?

Andei, na Internet, à procura de reacções à Marcha do Orgulho LGBT 2008 e Arraial Pride de Lisboa.

Não encontrei nada extremamente interessante, devo dizer, pelo menos nada que fosse além das etiquetas "marco histórico", "visibilidade" e "festa". Talvez ainda seja muito cedo (ainda não passaram dois dias) ou talvez o evento se tenha resumido - sem subestimações implícitas, uma vez que as referidas qualificações não deixam de ter o seu valor - a isso mesmo.

No entanto, inclino-me a julgar que os debates mais empolgantes sobre o tema se dão a um nível com uma visibilidade porventura menos imediata, mas que a mereciam toda.

É o caso das reflexões consignadas neste texto assinado por Sérgio Vitorino, que originaram esta reacção analítica e construtiva de Miguel Vale de Almeida.

Qualquer dos textos é um marco no pensamento filosófico, antropológico e social sobre a temática LGBT em Portugal e dão-nos, ambos, a oportunidade rara de "beber" do confronto de ideias de dois dos mais importantes activistas portugueses pelos direitos LGBT.

 

Adendas:

aqui um texto que apresenta uma interessante prespectiva sobre os slogans da Marcha, com a qual, aliás, eu estou plenamente de acordo.

 

E para  este  post vai o primeiro prémio na categoria "nota de humor" (via Da Literatura).

Buraco tapado por Citadina às 14:41
Link do post | Tapa também | Ver comentários (3)

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Contadores

Quem nos cita