Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

Do branqueamento dos crimes da ICAR

Cartoon tirado daqui
A ICAR tem uma longa tradição histórica de crimes contra a Humanidade (quem não se lembra das Cruzadas ou da Inquisição?) nunca olhando a meios para atingir os seus tenebrosos fins, e tem uma ainda maior capacidade de os branquear, não hesitando em deitar mão aos argumentos mais desonestos para se desresponsabilizar.

 

Um dos lemas que a ICAR segue é o de que a melhor defesa é o ataque. Numa altura em que em muitos países católicos se faz ouvir o coro de milhares de vozes das vítimas de pedofilia (crianças indefesas, muitas delas carenciadas e até deficientes) por parte de padres católicos, numa altura em que nos EUA, com base nomeadamente num documento secreto interno da igreja (Crimen Sollicitationis), que instrui bispos como lidar com acusações de abusos sexuais cometidos por padres nas suas paróquias, há quem acuse o Papa de liderar o "encobrimento de casos de pedofilia", o que vem ele dizer em Fátima?

 

Vem dizer que a profecia do 3º segredo de Fátima revelado em 2000 já falava dos sofrimentos que o Papa viria a experimentar, nomeadamente aquele que vem de dentro da Igreja e que tem a ver com a pedofilia exercida por padres católicos e encoberta durante décadas pela Igreja. Quer dizer, passam de agressores a vítimas, utilizando a fé das pessoas para branquearem os crimes cometidos. E, quando se falou na possibilidade de confrontação do Papa com estes crimes, aquando desta visita a Portugal, o cardeal José Saraiva Martins teve o desplante de dizer que "em Portugal, como noutros países, há uma campanha muito bem organizada para atacar a Igreja"! Perdoai-lhes Senhor, que eles não sabem o que fazem!

 

Como Chefe de um Estado, o Vaticano, o Papa vem, insurrecta e desrespeitosamente, exortar os fiéis de um outro Estado, laico e democrático, a condenar leis, aprovadas no seu parlamento por maioria, de despenalização da interrupção voluntária da gravidez e de aprovação do casamento homossexual como podem comprovar aqui. Ou seja, opta por uma atitude de ingerência intolerável na regulação totalitarista da sociedade civil de um Estado que não dirige nem representa, quando nem sequer consegue pôr ordem dentro da sua própria casa!

 

Ao dizer-se defensor de "iniciativas que visam tutelar os valores essenciais e primários da vida, desde a sua concepção, e da família, fundada sobre o matrimónio indissolúvel de um homem com uma mulher" podia, e devia, preocupar-se com temas da instituição da qual é CEO, como o casamento dos padres católicos, a ordenação de mulheres como sacerdotes, etc., permitindo seguramente "responder a alguns dos mais insidiosos e perigosos desafios que hoje se colocam ao bem comum". Bem prega Frei Tomás...

 

Buraco tapado por Cosmopolita às 23:12
Link do post | Tapa também
Quinta-feira, 13 de Maio de 2010

Música Maestro!

Como ele ainda anda por aí e eu me recuso a fazer parte dessa corja de beatos, continuemos com a digressão musical. Quem não se lembra de Herbert Von Karajan, O Maestro, quando A Orquestra era a Filarmónica de Berlim e os LPs de música clássica tinham de ser gravados pela Deutsche Grammophon? Vejam-no a ensaiar, com toda a sua exacerbada e invulgar sensibilidade e espantosa capacidade de explicar e transmitir o que queria. Recordem-no depois a dirigir uma orquestra, como só ele era capaz de o fazer. Acreditem que vale a pena.

 

Ensaio da 4ª sinfonia de Schumann

 

 

Beethoven Symphony No. 9 in D Minor, Op. 125

 

Beethoven's 5th Symphony. Part 1 (Movements 1 and 2)

 

Buraco tapado por Cosmopolita às 10:52
Link do post | Tapa também | Ver comentários (6)
Quarta-feira, 12 de Maio de 2010

Porque não quero cá missas papais, vamos para as Caraíbas!

Porque Portugal é um Estado laico e é imoral obrigar o seu povo a esta palhaçada em que o Estado e a ICAR andam pornograficamente embrulhados, oiçam um dos cantores ao som de cuja voz cresci. Não vos lembra as Caraíbas e as Antilhas, piratas, rum e tufões? Senhoras e senhores, eis Harry Belafonte!

 

Try to remember

 

 

  

Harry Belafonte & Nat King Cole sing Mama Look a Boo-Boo

 

 

 

 Banana Boat Song (Day O)

  

 

Jamaica Farewell

  

 

Matilda

 

 

Buraco tapado por Cosmopolita às 16:09
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Segunda-feira, 10 de Maio de 2010

Deixemos as liturgias e continuemos com o Jazz

Como dizia ali no telejornal uma das vendedoras altamente prejudicadas pela vinda do papa (os desígnios do Senhor são insondáveis!) “podiam ter levado o papa para outro lado qualquer”. Acedendo ao pedido dela, façamos de conta que o papa não vem cá, que não vai haver uma cobertura televisiva alargada durante 4 dias em todos os canais, nem fecho de ruas ou desvios de trânsito e continuemos a ouvir Jazz. Senhoras e senhores, tenho a honra de vos apresentar um dos conjuntos que mais me surpreendeu quando apareceu há muitos anos: “Jacques Loussier Trio”. Oiçam-no a tocar os clássicos em jazz e pasmem. 

 

Toccata & Fugue in D Minor

 

 

Arabesque

 

 

Pastorale in C Minor

 

 

 

Buraco tapado por Cosmopolita às 20:44
Link do post | Tapa também | Ver comentários (7)
Domingo, 9 de Maio de 2010

Para esquecer fantochadas, recordemos o Jazz casual

Quem nunca ouviu David Brubeck, tem aqui a oportunidade de ver o que perdeu. Senhoras e senhores, oiçam-no e fiquem numa boa mood!

 

Take Five

 

 

Take the “A” train

 

40 days

 

I’m in a dancing mood

 

It’s a raggy waltz

Buraco tapado por Cosmopolita às 14:52
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Sexta-feira, 7 de Maio de 2010

Em vez do papa e muito melhor do que ele...

Tenho o prazer de vos apresentar a mulher que foi considerada a melhor cantora de gospel do mundo!

 

Senhoras e senhores: Ms. Mahalia Jackson! Enjoy it.

 

 

Buraco tapado por Cosmopolita às 14:03
Link do post | Tapa também | Ver comentários (5)
Segunda-feira, 3 de Maio de 2010

As aparições de Fátima e outras histórias da carochinha*

Pela 1ª vez, desde que foi anunciada a visita do papa a Fátima, vi aqui uma notícia com interesse. O padre Mário de Oliveira, director do jornal Fraternizar, veio dizer à boca cheia, que as aparições de Fátima nunca existiram, que os pastorinhos foram vítimas de uma montagem feita pelo clero de Ourém, montagem essa que teria tido para as três crianças consequências tão graves quanto as da pedofilia, e que essa farsa teria feito de Fátima uma galinha de ovos de ouro para a Igreja em Portugal e para o Vaticano. Finalmente vejo que eu e um membro do clero comungamos, por assim dizer, a mesma opinião sobre esta história da carochinha. 

 

* Desculpem, mas sou alérgica a acordos ortográficos e ainda escrevo "história" como aprendi na escola.

Buraco tapado por Cosmopolita às 20:17
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Quarta-feira, 18 de Março de 2009

Post impróprio para católicos

Perante a duríssima luta que se vem travando em África pela alteração de mentalidades, costumes, comportamentos ou meros estados de ignorância das populações, causas-rastilho da bombástica propagação do HIV naquele continente, depois de décadas de esforços no sentido de levar informação sobre prevenção da SIDA às populações africanas, aquele fanático daquele Papa, contra a ciência, o bom senso e a racionalidade mais básica, ter a lata de ir lá dizer que a distribuição de preservativos [e sua utilização, subentendido, claro] não é a forma adequada de combater a difusão do vírus é, no mínimo, um acto criminoso.

Tribunal de Haia com ele, já!

Buraco tapado por Citadina às 15:29
Link do post | Tapa também
Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

As várias facetas da ignorância

Polícia moçambicana tenta travar linchamento de "culpados" pela ausência de chuva.

Uns diabolizam alegados "retentores da chuva", outros os casamentos entre homossexuais e a ameaça que estes representam para a "família".

Buraco tapado por Citadina às 11:45
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)

Mas de que Constituição é que ele está a falar?

União homossexual é falácia e viola Constituição: "O casamento e a família são instituições que não são substituíveis por outras associações", refere o secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), lembrando que a Constituição da República "defende o casamento como uma união heterossexual".

 

Não deve, decerto, estar a falar da Constituição da República Portuguesa, que diz:

no Artigo 13.º (Princípio da igualdade)
1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

 

e no Artigo 36.º (Família, casamento e filiação)
1. Todos têm o direito de constituir família e de contrair casamento em condições de plena igualdade.

 

Além disso, a última vez que verifiquei (e foi agora mesmo), Portugal era um estado laico, perceberam? Laico. Os senhores têm, de uma vez por todas, que aprender a viver com isso.

Buraco tapado por Citadina às 10:51
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

Casar com muçulmanos

Sem mais hipocrisias, eu até acho que entendo onde o Cardeal Patriarca de Lisboa queria chegar quando afirmou que casar com muçulmanos "é meter-se num monte de sarilhos que nem Alá sabe onde é que acabam".

O que ele se esqueceu de dizer foi que não é preciso casar com um muçulmano para uma mulher ser maltratada. Basta casar com certos portugueses, a maioria deles mui católicos até.

Buraco tapado por Citadina às 16:36
Link do post | Tapa também | Ver comentários (10)
Sexta-feira, 26 de Dezembro de 2008

Time out - Boas Festas

Como com certeza já repararam, a vida não tem dado para a bloga.

Voltamos em Janeiro, se não acontecer nada de extraordinário entretanto.

A todas as leitoras e leitores do Azinhaga, um Feliz Ano Novo!

Ao aberrante bento dezasseis uma palavra especial, em jeito de retribuição: desejamos-lhe umas grandes fodas mas, por favor, com pessoas maiores de idade e por mútuo consentimento, está bem? Eu sei que não é prática comum aí em casa, mas faça lá um esforço. Vai ver que se sentirá um ecologista melhor.

 

Buraco tapado por Citadina às 12:09
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Quarta-feira, 16 de Julho de 2008

E se Deus não quiser? e outras blasfémias

A mim parece-me que a forma mais óbvia de esquematizar a evidência de que Deus é, na verdade, um Diabo passa por chamar a atenção para o facto de "Diabo" ser considerada uma palavra menos positiva mas, convenhamos, muito melhor adaptada à personalidade de quem detém discricionariamente "todo o poder".

Buraco tapado por Citadina às 12:01
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2008

Voto a Deus

A expressão é de uma estética inabalável. Remete-nos inexoravelmente para o obscurantismo medieval se pensarmos muito nela, é certo, mas por isso mesmo soa-me a insulto sofisticado. É como dizer: por mim ardias numa fogueira.

É uma teoria que aparenta ser corroborada por especialistas de época, como os inefáveis Íñigo  Balboa y Aguirre e seu amo, o Capitão Alatriste.
 
Buraco tapado por Citadina às 11:10
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Segunda-feira, 7 de Janeiro de 2008

O melhor pescado de sempre (com rede de malha larga) #3

Um post a não esquecer, publicado em 20 de Outubro de 2006 no Random Precision e no Diário Ateísta, por desmascarar sumária, irónica e brilhantemente a hipocrisia e má fé da ICAR (Igreja Católica Apostólica Romana), a propósito de vários casos de pedofilia praticada por padres da referida instituição que vieram a público:

"Um Problema Conjuntural

«Não só os homossexuais mas também aqueles que os toleram são merecedores da morte»
- Bíblia: Romanos 1:32

«O acto homossexual deve ser punido com a morte».
- Bíblia: Levítico 20:13


Moral da história:

A homossexualidade é uma doença incurável que não pode ser tolerada por nenhum bom cristão e deve ser punida com a morte;

A pedofilia é um problema conjuntural que se resolve mudando o padre de freguesia."


(sem a ilustração do post original, a qual pode visualizar clicando na citação acima).

Buraco tapado por Citadina às 11:51
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Quinta-feira, 11 de Outubro de 2007

Mas então a Barbie não era uma p...?

Na Indonésia foi criada uma Barbie que veste as roupas tradicionais. O nome da boneca também mudou. Chama-se Salma.

Marketing é marketing, o que interessa é vender, portanto, em nome do respeito pelas convicções religiosas,  disfarça-se a gaja um bocadinho e já está!
Pois.

Buraco tapado por Citadina às 17:47
Link do post | Tapa também | Ver comentários (2)
Quarta-feira, 20 de Junho de 2007

A ler

Este texto inteligente, de um jovem que me é muito querido, embora por vezes me tenha dado cabo da paciência, quando ainda andava de cueiros (mas recordo-o com um sorriso muito terno), e que se está a transformar num homem assinalavelmente bonito, por dentro e por fora. O tempo passa para todos. :-)
Buraco tapado por Citadina às 12:44
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2007

Que irritação!!! (ou O Lado Negro da Força)

 
  
Fico irritadíssima quando vejo a forma como são veiculadas as notícias (entrevistas, debates, etc.) em Portugal!
 
Que raio, o que está em discussão no referendo de dia 11 de Fevereiro é, em linguagem corrente, o seguinte: “Concorda ou não que as mulheres que fazem um aborto por opção, sem ser nas condições previstas pela lei vigente, não devem incorrer numa pena de prisão até 3 anos, nem devem ser punidas por lei de forma nenhuma?” Se concorda, vote SIM; se não concorda, é porque é pró-prisão! É fácil e claro!
 
Mas não, a padralhada lá está toda, como abutres ou predadores atraídos pelo cheiro a sangue, a clamar pelo direito à vida dos fetos, contra as assassinas das mães! É caso para dizer “Brada aos Céus”!!!
 
Eles que representam uma igreja que é contra o uso de QUALQUER contraceptivo, seja ele qual for, vêm impor às mulheres que param quer queiram quer não, sob pena de arderem nos fogos do inferno quando morrerem, enquanto acautelam, por via das dúvidas de nada existir para além da morte, que estas sejam julgadas e punidas em vida com a prisão e a infâmia! Ai se eles pudessem voltar aos tempos da Inquisição!!!
 
Eles que apregoam que o poder político não deve tomar partido, o que fazem eles senão isso? E se o Vaticano é um Estado, uma tomada de posição desta corja o que é senão uma tomada política de posição?
 
Como diria o meu avô materno “Quem fala assim das mulheres, não é filho de nenhuma, é filho de burra”!!! Irra!!!!
Buraco tapado por Cosmopolita às 12:37
Link do post | Tapa também
Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2007

Série "Hipocrisia e preconceito" - Do aborto

Em Portugal não se pode ter um comportamento diferente, verbalizar ou assumir seja o que for sem que, de imediato, isso obrigue os outros a emitir juízos de valor baseados em preconceitos provincianos e pequeno-burgueses, numa falsa e hipócrita moral cristã.
 
E quando toca ao aborto, aí é que o caldo se entorna! Aí é que as organizações religiosas tocam a rebate e fazem verdadeiras campanhas de marketing para juntar os seus rebanhos contra as "criminosas" que querem poder decidir do seu corpo, do seu desejo ou possibilidade de serem mães. Aí é que a falsa moral social intervém no apedrejamento público, segundo as leis da charia, das mulheres que ousam tomar uma tal decisão. E mostra a experiência que, muitas vezes, as vozes mais alteradas vêm de pessoas que praticaram, consentiram, intervieram ou foram de uma maneira qualquer cúmplices de decisões idênticas.
 
Não tenho conhecimento de nenhum caso de exacerbado masoquismo feminino em que a mulher, apenas por mero prazer ou instintos assassinos, decidisse fazer um aborto. Pelo contrário. As mulheres que conheço e que o fizeram tiveram sempre um grande trauma e sofrimento, senão físico, pelo menos psíquico. E também não é por acaso que as unidades clínicas ou hospitalares em que há casos de patologias da gravidez ou onde se praticam abortos se encontram separadas das maternidades. Para que as mulheres que perdem os filhos por opção ou não, não sofram ainda mais com isso.
 
Como referiu Odete Santos na Assembleia da República e se reproduz aqui, "O que sempre se quis disfarçar e mesmo esconder por debaixo da violência do aborto clandestino, foi o preconceito contra a mulher. Por isso é que o argumento da protecção da vida humana intra-uterina é um argumento de violenta hipocrisia. Porque se sabe, de um saber de séculos, que não se protege o embrião nem o feto com a criminalização da mulher. Não restando na argumentação procriminalização a não ser esse tal preconceito anti-feminino .
 
Se a Mulher tem o domínio da vida, abrindo as portas ao Conhecimento (e não é por acaso que na Idade Média já o fruto Maçã tinha esse símbolo, significando Conhecimento) então houve que reduzi-la a um útero. Tota muliere in utero , segundo S. Tomás de Aquino, ou, segundo Bonaparte, "A mulher não é senão um ventre". Como muito bem o refere Simone de Beauvoir no "Segundo Sexo."
 
E foi por isso que se encarceraram mulheres como Margaret Sanguer e Mary Stoppes , apenas por divulgarem o planeamento familiar e o controle dos nascimentos.
 
É por isso que se cerceia às mulheres o direito de opção. É por isso que o Estado se arroga o direito a invadir a sua privacidade expondo a sua intimidade na barra do Tribunal e na praça pública. É por isso, porque persiste o preconceito de que a mulher não é capaz de tomar decisões responsáveis, que se age como se o Estado fosse dono da sua fecundidade. É mesmo por isso que se devassa a privacidade das mulheres em processos referendários, para perguntar aos outros, se as mulheres têm capacidade para tomar decisões, se as mulheres têm direito à saúde reprodutiva. Para perguntar aos outros se o Estado, em nome de metafísicas concepções de uma parte apenas da sociedade, deve invadir a privacidade dos quartos de dormir, e ordenar às mulheres que tenham filhos não desejados nem planeados, contra o seu direito à maternidade consciente."
 
Fiquei boquiaberta com uma notícia (que seria caricata, se não fosse ignóbil), em que um homem que dava a cara por mais um movimento a favor do “Não” invocava o crescimento demográfico, o problema do futuro da segurança social e até o défice orçamental, para justificar a opção deste movimento! É de pasmar!!!! “Santa” hipocrisia...
Buraco tapado por Cosmopolita às 12:10
Link do post | Tapa também | Ver comentários (11)

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita