Quarta-feira, 14 de Julho de 2010

Dr. House

 

Seguimos esta série cá em casa e, de episódio para episódio, maior é a minha aversão ao Dr. House. Poucas vezes me foi dado ver uma pessoa que se distinguisse tanto pela negativa e que tivesse, simultaneamente, tanto e tão inexplicável êxito. É verdade que esse sucesso tem a ver também com toda a equipa. Os actores principais, Lisa Cuddy (Lisa Edelstein), Eric Foreman (Omar Epps), James Wilson (Robert Sean Leonard), Allison Cameron (Jennifer Morrison), Robert Chase (Jesse Spencer), e em papeis secundários, Thirteen (Olivia Wilde), Chris Taube (Peter Jacobson) e Lawrence Kutner (Kal Penn), desempenham na perfeição o seu papel.

 

Dr. House, o personagem brilhantemente interpretado por Hugh Laurie, como pessoa é absolutamente asqueroso. É um manipulador nato, um ditador desumano e esclavagista, crápula, mentiroso, arrogante, intrusivo, abusador, chantagista, obsceno a nível sexual,  intolerável enquanto chefe ou subordinado. Mistura de forma inaceitável e abusiva a vida profissional e pessoal, sua e da sua equipa ou chefias, com a vida profissional e pessoal de todos.

 

A sua genialidade, enquanto médico especializado em diagnósticos, deixa muito a desejar, pelo menos a mim que não sou médica. Se fossemos ver o custo dos meios de diagnóstico que ele utiliza por paciente, então a medicina teria, de facto, um custo socialmente insuportável. Sobretudo num país como os EUA em que estar doente é um luxo a que poucos se podem permitir.

 

Gostaria de ver um médico assim, a ter de fazer diagnósticos sem meios para o fazer, como acontece em muitos países do mundo. Aí sim, se mantivesse a genialidade, poderia perdoar-se-lhe algumas das suas fraquezas de carácter. Mas hélàs, o mundo está cheio de Dr. Houses que têm a visibilidade e o poder que têm, porque todos nós lhes damos créditos, elogiando-os e dando-lhes tempo de antena.

Buraco tapado por Cosmopolita às 16:13
Link do post | Tapa também | Ver comentários (10)
Terça-feira, 27 de Outubro de 2009

É desanimador

A idiotice e a ignorância estão mesmo em todo o lado.

Buraco tapado por Citadina às 12:35
Link do post | Tapa também | Ver comentários (14)
Sexta-feira, 17 de Julho de 2009

Votar PS? Não me parece.

Ora então vejamos: o Ministério da Saúde é liderado por uma Ministra do PS, certo? PS esse que promete prometer (é que é mesmo assim) viabilizar a igualdade no acesso ao casamento civil na próxima legislatura, não é? Mas já as outras igualdades, ah isso não, que isso é um grupo de gente esquisita e por muito bem comportadinhos que eles digam que são nunca se sabe, porque ser homossexual já é um comportamento de risco. O melhor é manter essa gente o mais afastada possível do nosso sangue.

 

Moral da história: é com políticas reais que se inferem as intenções reais.

Buraco tapado por Citadina às 17:20
Link do post | Tapa também | Ver comentários (4)
Domingo, 2 de Novembro de 2008

Suporte técnico por telefone

Sim, mãe, já ejectei os pulmões e pus a correr o antivírus. E agora?

 

Buraco tapado por Citadina às 11:13
Link do post | Tapa também
Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2008

O desafio das novas profissões

Não percebo por que razão está tanta gente contra o Ministro da Saúde. Eu, pessoalmente, acho-o bestialmente avant garde, um inovador incompreendido, assim a modos que um cubista, mas na área da saúde. O homem de uma só cajadada mata "n" coelhos: retira a angústia dos mais jovens terem a responsabilidade de garantir o futuro da Segurança Social ao poupar que se farta em pensões de velhice (os "idosos" morrem antes de chegarem aos hospitais ou em macas nos corredores); poupa milhões na construção de novos hospitais e na manutenção dos Serviços de Atendimento Permanente ao utilizar ambulâncias como pontos focais e estratégicos de cuidados intensivos, de maternidades, etc.; promove a oportunidade de acesso a novas profissões ao encorajar que sejam os bombeiros a fazer os partos (há nisto até algo de comoventemente comunista na defesa dos trabalhadores menos bafejados pela sorte). Com um bocadinho mais de compreensão da nossa parte até se poderiam eliminar as faculdades de Medicina e os médicos. Bastava agarrar em bombeiros voluntários, dar-lhes cursos acelerados e devidamente homologados e encher o País de ambulâncias. Estava o problema resolvido.
Ai se os outros países da União Europeia descobrem esta mina de ouro de ideias geniais, o homem ainda vai substituir o Durão Barroso em Bruxelas!

Buraco tapado por Cosmopolita às 12:16
Link do post | Tapa também | Ver comentários (3)
Quarta-feira, 2 de Janeiro de 2008

Feitos assinaláveis em 2007

Apesar de tudo, sobrevivi.

Post Scriptum: Há ainda a salientar, para valorização deste feito, que se tivesse necessitado de um serviço de saúde, género Atendimento Permanente, podia perfeitamente não ter encontrado nenhum aberto!

Buraco tapado por Citadina às 13:53
Link do post | Tapa também

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Outras ruas

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita