Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2007

Os do "nim"

Em desespero de causa, os do não, temendo a eminente derrota no referendo do próximo Domingo, vendo goradas as manobras de diversão destinadas a desviar a atenção dos eleitores daquilo que de facto está em discussão, adoptaram uma nova postura: são pelo "nim".

Não querem descriminalizar a interrupção voluntária da gravidez, mas por outro lado afirmam que não fazem questão que a lei seja aplicada. Eu nem comento esta posição disparatada. Restrinjo-me apenas ao essencial:

Se o sim ganhar, a lei actual, que criminaliza a mulher que aborta por opção com uma pena que pode ir até três anos de prisão, TEM de mudar.

Uma vitória do não PROÍBE, IMPEDE, a alteração da lei actual. Quer isto dizer que as mulheres que abortarem são para todos os efeitos criminosas; o aborto continua assim a ser clandestino; continua a ser feito (disso não tenham a mínima dúvida!!) sem condições mínimas de segurança, e por isso, a ser uma causa de morte e mutilação de muitas mulheres que não têm escolha nem apoio.

Não importa que os do "nim" digam o contrário, ou seja, que se o não ganhar se pode mudar a lei na mesma. NÃO É verdade. Não pode. Se o não ganhar, isso significa o mesmo que significou no passado referendo: nada muda. Até porque seria impossível, em democracia agir contráriamente à expressão de uma maioria. Se isso pudesse acontecer nunca mais um referendo teria legitimidade e seria levado a sério neste país.

O sim é, não pelo "aborto livre", como os do não e do "nim" fazem veicular, mas SIM pela "despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras 10 semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado".

Ou seja, sou eu que não sei ler, ou o "livre" não é livre, dadas as condições e limitações bem explícitas no texto da pergunta?! Ou esta tentativa de manipulação é tão patética que se dirige apenas aos iletrados?

Tags:
Buraco tapado por Citadina às 02:06
Link do post | Tapa também
7 comentários:
De A Pedra no Caminho a 6 de Fevereiro de 2007 às 18:23
De facto, é uma campanha recheada de uma hipocrisia e de uma demagogia notável.
Sobretudo, por parte do Partido Social-Democrata, esse verdadeiramente pelo "nim"! Aliás, no seu tempo de antena (que também pode ser considerado um tempo de antena do professor Cavaco Silva), não assumem qualquer posição explícita, mas têm, por exemplo, um fundo vermelho, cor do NÃO.
É uma campanha de cobardia, de falta de carácter, de vergonha...
Apesar de tudo isso, estou esperançado numa grande vitória da Liberdade de escolha, da Liberdade sexual, de uma melhoria no campo da Saúde Pública...

Um beijinho para si,
João F. Curvêlo
[jovens pelo sim]
De Citadina a 7 de Fevereiro de 2007 às 10:20
Obrigada pelo teu comentário, João! Força nessa campanha até ao fim! Vais ver que vale a pena. Um abraço enorme, e saudades!
De a 8 de Fevereiro de 2007 às 21:29
Nim mais! Há coisas que me fazem rir, mas a hipocrisia dos nin-éticos já nem sorrir...

Um abraço para ti e este espaço esclarecedor.

Zá.

De A Pedra no Caminho a 9 de Fevereiro de 2007 às 00:13
Olá, Zá!

Como estás?
Sim, é verdade, sou mesmo eu - João Candeias Curvêlo.

Podes falar comigo, por e-mail, para: joao.f.curvelo@gmail.com

Visita, também, o meu blog:
http://pedranocaminho.blogspot.com

Beijinho para ti e para o Daniel.



PS: Às pessoas que escrevem neste blog, peço desculpa pelas conversas paralelas, desejo a continuação de excelentes posts e... prometo ir passando por aqui.

[jovens pelo sim]
De Citadina a 9 de Fevereiro de 2007 às 10:22
Mas vocês conhecem-se?!
João, estarás a confundir? E quem é o Daniel? (Oliveira?)
Beijos!
De sustelo a 10 de Fevereiro de 2007 às 00:40
Olha pois és mesmo tu então quem havia de dizer?! O mundo (o da blogosfera e o outro) é mesmo aqui ao pé.

Deixemos a anfitriã do espaço comovida por nos ter juntado assim sem mais nem menos (enfim, isto do sem mais nem menos está cientificamente por provar...) no seu espaço, com belas janelas abertas para.

Pois é, citadina, nós conhecemo-nos lá do campo, desde há séculos!... E quem se conhece sempre aparece.

Sobre o teu blog, João, que pena tenho de não ter podido deixar lá, ali à mão de rascunhar, o meu comment. Que bela e arejada prosa, convicta e com vida! Gostei muito, até porque o último texto teu que me lembro de ter lido é já um documento jurássico, perdido numa qualquer colectânea das Escrituras de Bibe.

Tenho para a troca: http://www.myspace.com/sustelo (e apresento-te o Jens, com pedido para que divulgues se achares que sim)

Bem, citadina, agora atura-me os elogios transviados aqui no teu jardim... Pois se é mesmo ele quem havia de dizer?!...

Abraço à anfitriã e ao convidado-amigo. Vamos a ver e um destes dias estamos juntos a brindar aos laços. Ah, citadina, e prometo levar o Daniel-filhote-mai-lindo-da-mãe.

E domingo lá estarei, pois Sim!

De Citadina a 9 de Fevereiro de 2007 às 10:19
Obrigada, Zá. Um abraço para ti também, e Domingo lá estaremos!
Beijos!

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita