Quinta-feira, 9 de Julho de 2009

Mas porquê as mães, sempre as mães?!

Além disso, eu também não compreendo o constante recorrer à ascendência feminina directa para insultar alguém.

 

Ontem houve uma manifestação de cerca de 200 estivadores em frente à Assembleia da República. Dispararam petardos, acenderam tochas e trouxeram coletes reflectores que diziam “Don’t fuck my job”. As palavras de ordem foram assim, como hei-de dizer... Um bocadinho fortes, digamos: “Sócrates, escuta! És um filho da %&$#.”

Buraco tapado por Citadina às 12:38
Link do post | Tapa também
4 comentários:
De Duca a 9 de Julho de 2009 às 13:01
Não terá a ver com a tendência para se esquecerem de que um tipo para ser filho da p*** tem de ser também filho de um c***** no mínimo? E também não será porque para os homens a assunção dessa condição, dos pais poderem ser c******, é demasiado indigna?

I wonder ...
De Citadina a 9 de Julho de 2009 às 16:04
Pois, de facto os espelhos podem ser muito cruéis.
De Cosmopolita a 9 de Julho de 2009 às 17:45
Minhas queridas, não há dúvida de que a civilização ocidental não me diz mesmo nada em alguns dos seus aspectos!

Aqui em África, são muito mais sábios do que aí. Nasceu na minha casa é meu! Ponto final parágrafo!
De Duca a 10 de Julho de 2009 às 11:26
Concordo em absoluto.

Comentar post

Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
25
26
27

Posts por autora

Pesquisa no blog

Subscrever feeds

Arquivo

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Tags

a vida dos outros(31)

açores e madeira(7)

ambiente e oceanos(21)

aniversários(19)

artes(6)

autarquias(12)

auto-recriações(24)

autores(7)

bem-estar(11)

blogs(73)

capitalismo(8)

catástrofes(4)

charlatonices(2)

cidadania(14)

ciências(3)

cinema(18)

citações(38)

clima(7)

condomínio(2)

curiosidades(26)

democracia(32)

desemprego(13)

desporto(22)

dilectos comentadores(5)

direitos humanos(11)

direitos liberdades e garantias(39)

e-mail e internet(6)

economia(27)

educação(8)

eleições(14)

emigração(5)

empresas(3)

estados de espírito(60)

europa(2)

eventos(33)

excertos da memória(24)

fascismo(9)

férias(25)

festividades(29)

fotografia(12)

gatos(10)

gestão do blog(15)

gourmet(3)

grandes tentações(11)

hipocrisia(3)

homens(6)

homofobia(17)

humanidade(8)

humor(24)

igualdade(20)

impostos(5)

infância(7)

insónia(6)

int(r)agável(25)

intimismos(38)

ivg(17)

justiça(17)

legislação(17)

lgbt(71)

liberdade de expressão(13)

língua portuguesa(7)

lisboa(27)

livros e literatura(21)

machismo(3)

mau gosto(8)

media(3)

mulheres(17)

música(35)

noite(5)

notícias(22)

óbitos(5)

países estrangeiros(19)

personalidades(9)

pesadelos(5)

petróleo(4)

poesia(9)

política(86)

política internacional(30)

por qué no te callas?(9)

portugal(31)

publicações(6)

publicidade(9)

quizes(8)

redes sociais virtuais(9)

reflexões(58)

religião(19)

saúde(6)

ser-se humano(15)

sexualidade(9)

sinais dos tempos(8)

sociedade(45)

sonhos(6)

televisão(23)

terrorismo(4)

trabalho(20)

transportes(7)

viagens(19)

vícios(13)

vida conjugal(17)

violência(4)

todas as tags

Quem nos cita